Ampliar imagem | Tamanho original
O local destinado para esta operação apresentava-se numa longa faixa de terreno, plana, no limite do complexo fabril, Valorsul - empresa de tratamento de lixos da área metropolitana de Lisboa - localizada na cintura industrial de Lisboa, junto à margem norte do rio Tejo. Este edifício confrontou-se com outros já construídos (edifício principal da fábrica e incineradora) com linguagens arquitetónicas bastante diferentes e muito afirmativas. Assim, construir uma peça sóbria, que não rivalizasse com o existente, pareceu ser o caminho para o projeto. Propôs-se uma construção a uma única escala, uma forma paralelepipédica pura, longitudinal, onde se definiu um “lugar” de entrada com um sentido exterior, que garantisse todos os acessos físicos cobertos às áreas programáticas interiores. Este volume, de um único piso e com 50 metros no sentido longitudinal, constrói uma nova frente de rua, onde uma matéria abstrata - betão cinza - “pousado” sobre um jardim de pedra branca – brita - promove outra leitura no complexo fabril. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar