Ampliar imagem | Tamanho original
O argumento inicial para este projeto leva em consideração o contraste entre construção e área verde que ali é percebido em duas escalas distintas: [1] o bairro, Jardim Europa, circundado por edifícios verticais, se caracteriza como uma grande ilha verde densamente arborizada. Tal configuração se deve aos princípios urbanísticos que orientaram o desenho do loteamento nos anos 1910 e 1920.  [2] uma árvore com 15 metros de altura é um marco na altura do número 440 da rua Bélgica onde esta casa se localiza. Quando vista de dentro do lote, a copa daquela tipuana não cabe no recorte de paisagem que as divisas laterais enquadram.  O pequeno lote, 238 metros quadrados, contrasta com grandes propriedades na vizinhança. Seu perímetro está definido por um polígono irregular de quatro lados sem linhas paralelas ou ângulos retos. O fundo do lote é marcado pela divisa em ângulo agudo. Ali a regra é que as casas definem volumes claros de tal modo que árvores e construção sejam claramente separadas. Na escala da cidade aprisionou-se o verde dentro do bairro. Na escala das casas ele ficou trancado para fora.  Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar