Ampliar imagem | Tamanho original
Trata-se de uma residência familiar construída na cidade costeira de Salinas, Astúrias, num pequeno lote em forma de trapézio, localizado entre duas zonas residenciais diferentes, um complexo residencial e outra de residências unifamiliares. O projeto tenta harmonizar essas condições, seguindo as linhas de propriedade nas moradias na rua Madreselva, e também a liberação habitual no caso de residências unifamiliares de frente para o amplo espaço aberto do Parque Deva. A resposta a isso é uma casa com formato “L” assimétrico, que gera um espaço interno com as principais áreas de estar abertas, voltadas para a direção mais adequada. O acesso pedonal mais privado é fornecido pela Rua Madreselva, em direção ao centro de Salinas, onde a praia está localizada. Tendo em mente uma família numerosa, o piso inferior tem as áreas sociais: home office, sala de estar e cozinha / sala de jantar, com enormes janelas do chão ao teto. No andar superior, há quatro quartos, que se abrem para uma janela “fenêtre lounguer”, que interrompe o volume e quebra as extremidades do “L”. Esta janela é sombreada por uma cobertura que protege do sol no verão, além de enquadrar as vistas do parque. O exterior transforma o telhado em uma extensão da fachada, usando o zinco como material unificador. Isso faz o volume "flutuar" nas paredes brancas do piso inferior com a forma de grandes saliências. O uso de zinco é uma reminiscência das construções tradicionais adjacentes à mina de Arnao, que utilizaram esse material de revestimento após a instalação da Real Companhia Asturiana de Minas (Companhia Real de Mineração das Astúrias) em 1851, empresa que usava carvão daquela mina no processo de produção de zinco. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar