Ampliar imagem | Tamanho original
A casa é apresentada como uma clareira na floresta de pinheiros que a rodeia. O contorno é condicionado pelas árvores que guiam suas paredes, seus volumes. A topografia é decisiva, com uma inclinação em direção ao fundo do terreno, permite que parte do edifício seja enterrado, minimizando o impacto dos quase 600 m² construídos. Dar leveza a essa construção, enquanto a leva para o chão, torna-se o principal desafio do projeto. O projeto buscar olhar para o céu e se abrir para a paisagem, preservando o máximo de privacidade possível. Além disso também há uma preocupação com a escala, de forma que os espaços são limitados à escala humana, buscando um ambiente confortável para ser vivido. Ampliando o enredo, abrindo diagonais visuais e quebrando os volumes nas extremidades, o projeto busca capturar o sol, mas também a sombra. Beirais, coberturas, painéis deslizantes, saliências e pinheiros foram o entorno. Os espaços do projeto estão organizados em cinco semi-níveis, em uma espécie de espiral que os concatena. O nível de acesso contém a ala dos quartos, com uma dupla circulação interior-exterior, para que, de cada um deles, você possa chegar diretamente à área da piscina. A partir desse nível, você sobe para o escritório, uma sala polivalente marcada pelo teto de madeira e zinco dobrado que se abre para a paisagem, ou você desce até o nível da cozinha, sala principal e sala de jogos. Esses dois espaços são conectados pela altura triangular dupla ao lado da escada e pela elevação da sala de estar. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar