Ampliar imagem | Tamanho original
No final de 2019, as mídias iniciaram seu ritual anual de fazer um balanço, compilar listas e olhar para trás. No mundo da arquitetura, a maior notícia do ano foi, sem dúvida, o incêndio da Notre-Dame. A imagem do telhado em chamas da catedral - uma visão devastadora - encheu as telas de TV e computadores ao redor do mundo e ocasionou uma onda de tristeza, especialmente na França, onde a edificação ocupa um lugar central na consciência coletiva do país.  Foi uma tragédia arquitetônica e cultural. Sem dúvida: o inferno de abril atingiu o coração da França. Aqui na África, o evento foi visto por muitos com uma certa indiferença. Isso não deve surpreender, já que essa indiferença é uma resposta a gerações de angústia dirigidas aos colonialistas europeus, particularmente franceses, belgas e britânicos que, por várias décadas, projetaram e sustentaram o saqueamento de todo o continente pelos estados tribais, com seus agentes surripiando artefatos culturais sagrados, muitas vezes destruindo aqueles que não podiam levar. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar