Ampliar imagem | Tamanho original
Este armazém industrial está localizado em Águeda, Portugal, numa zona sem referências arquitectónicas e rodeado de paisagem florestal. Sem referências relevantes e com um programa que se resume a uma zona de armazém de produto acabado, zona de cargas e zona de escritórios, a proposta pretende reflectir a simplicidade da solução, face à simplicidade dos requisitos. Partindo da volumetria que nos permite usar o máximo de área destinada a armazém (função principal), um rectângulo, reservamos uma fracção desse espaço para os escritórios, na zona mais próxima da entrada. Essa zona de escritórios é a zona que marca a entrada do edifício, enquanto elemento de excepção, sendo que toda a volumetria é um elemento monolítico, simples e despretensioso. Esse elemento de excepção surge na sequência da deformação do volume original, inspirado numa das técnicas usadas pela empresa no fabrico de bases de duche e banheiras, o vacuum forming. Esta deformação assume uma linguagem plástica muito forte, acentuada pelo uso da cor branca, por contraste ao cinza escuro do restante pavilhão e à semelhança da cor esbranquiçada que os materiais plásticos adquirem ao serem deformados. Igualmente deformada fica a malha quadriculada, originalmente sobreposta na volumetria, assumindo uma linguagem que acentua a deformação e cria uma dinâmica visual e formal que reforça o carácter humanizado dos escritórios. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar