Ampliar imagem | Tamanho original
O aumento da passagem do metrô de Santiago em 30 pesos (4 centavos) foi o início de uma agitação social no Chile que, após dias de evasões em massa e manifestações espontâneas, explodiu na sexta-feira, 18 de outubro. Naquele dia, o sistema Metro entrou em colapso, os protestos se multiplicaram e os saques e incêndios saíram fora de controle. Na mesma noite, o Estado de Exceção Constitucional declarado pelo presidente Sebastián Piñera encerrou uma sexta-feira obscura. O descontentamento social tomou as ruas de Santiago de surpresa, mas rapidamente reconhecemos que o aumento da passagem revelou a raiva, a injustiça e a desigualdade acumuladas pelas classes médias, vulneráveis e pobres de um país em crescimento, mas que distribui mal sua riqueza. Sem porta-vozes ou bandeiras oficiais, e com demonstrações diárias em todo o país, na última sexta-feira, 25 de outubro, 1,2 milhão de pessoas se reuniram na Plaza Itália, o centro simbólico de Santiago, para exibir a força de um movimento socialmente. transversal. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar