Ampliar imagem | Tamanho original
As circunstâncias inerentes ao projeto para a 'Casa do Monte' remetem a um dos temas mais primordiais da arquitetura - a relação entre a obra e a paisagem. Nesse sentido, por estar localizada no alto de uma montanha, tal relação pode ser explorada a fim de perceber os limites incertos entre a horizontalidade da paisagem e a figura da obra arquitetônica. Partindo dessa premissa, a estrutura que conforma a espacialidade da habitação surge do posicionamento de cinco planos paralelos, cujo intervalo entre eles determina o caráter funcional e estrutural do projeto. A configuração desses planos cria dos eixos estruturadores, possibilitando duas formas de se relacionar com o exterior. O eixo longitudinal a eles, que se volta para o exterior sublime da paisagem. E outro transversal, que articula os diversos atravessamentos e ambientes que configuram a forma de habitar da casa. A opção por uma construção em um único nível reitera essa premissa de continuidade entre os ambientes, e entre interior e exterior. Ao expandir pelo terreno todos os usos inerentes à habitação em uma mesma cota, permite-se explorar as diversas possibilidades de se ocupar e vivenciar o terreno. Seja nos espaços internos, seja nas áreas externas. O único momento que há uma alteração de nível, é na área destinada a piscina, que possui a mesma cota da laje que cobre as duas alas destinadas aos dormitórios. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar