Ampliar imagem | Tamanho original
O projeto do Café e Floricultura Ginkgo localiza-se em uma situação urbana incomum. O terreno que faz divisa com o projeto fora transformado na Travessa Lanceiro Negros, uma via de pedestres em declive que conecta duas ruas em diferentes níveis topográficos, e o lote de intervenção deixou de ser entre medianeiras para tornar-se uma esquina. A casa que existe no local passou a ter uma nova fachada pública para a travessa que apresentava-se, contudo, como uma empena cega. Deste novo contexto urbano surge a premissa principal do projeto: criar uma nova fachada ativa para a Travessa Lanceiros Negros. Confrontando a casa existente no terreno com o programa de atividades concluiu-se que seria necessário criar um anexo que ampliasse a área do café. Este anexo conformaria a entrada principal da Ginkgo pela travessa, conciliando o nível do passeio público com a estrutura de pavimentos da casa. Com isto em mente, foi desenhada uma “peça” arquitetônica que se encaixa na casa existente como em um tetris, jogando um lance de escada para o nível térreo da casa (área de mesas) e outro para o subsolo (cozinha). Por fim, a implantação proposta permite adaptar a área criada às duas árvores que existiam no terreno – esta relação harmônica entre a vegetação existente e a nova arquitetura proposta é de extrema importância conceitual para o projeto visto que parte de seu tema consiste em uma floricultura. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar