Ampliar imagem | Tamanho original
Atenta às lições de Albers, a pintora Lúcia Glaz mostra em sua nova série de pinturas um desejo de explorar novos fenômenos perceptivos, considerando o potencial expressivo da cor em sua interação com a forma. Na mesma direção dos artistas da geração pós-pictórica (Robert Ryman, Agnes Martin, Brice Marden), descontada a distância geracional, a pintora tende a ver a pintura como objeto, e não como ilusão, perseguindo uma redução purista que foi também a meta dos citados artistas ao restringir ao essencial suas experiências na tela. Baixar as informações relacionadas com este evento aqui. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar