Ampliar imagem | Tamanho original
Os arquitetos geralmente são influenciados pelas vontades de seus clientes, sacrificando e comprometendo com relutância as opções de projeto para atender às suas necessidades. Mas o que acontece quando os arquitetos se tornam seus próprios clientes? Quando arquitetos projetam para si mesmos, eles têm o potencial de testar suas ideias livremente, explorar sem restrições criativas e criar espaços que definem totalmente quem são, como projetam e o que representam. Desde icônicas casas de arquitetos como a Residência Gehry em Santa Monica até casas particulares que funcionam como um museu de entrada pública, aqui estão 9 fascinantes exemplos de como os arquitetos projetam quando eles só têm a si mesmo para responder. Casa Barragan / Luis Barragan A fachada plana e despretensiosa da Casa Barragan não dá pistas do que há dentro dela. Descrito como um oásis - um santuário que impede o “caos urbano” - a discrepância entre a fachada e o interior destaca o desejo de Barragan de projetar um espaço íntimo e altamente privado dentro de suas paredes. As janelas são menores e mais altas em direção à frente da casa, permitindo a entrada de luz, mas mantendo a privacidade. Na fachada posterior, enormes janelas na parte de trás da casa se abrem para uma espetacular vista do jardim. As janelas permitem que filtros poéticos de luz natural inundam a residência, iluminando as características paredes em rosa, laranja e amarelo. Relíquias e símbolos são dispostos e pendurados por toda a casa, criando um espaço profundamente pessoal. Após a morte de Barragan em 1988, a Casa Barragan foi transformada em um museu que mostra seu estilo de arquitetura icônico para visitantes de todo o mundo. Mais tarde, foi nomeada como Patrimônio Mundial pela UNESCO em 2004 como um dos exemplos mais influentes e representativos da arquitetura moderna mexicana. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar