Ampliar imagem | Tamanho original
A intervenção foi feita num edifício da década de 1990 que apresentava uma cobertura não habitável de duas águas em telha, com acesso exclusivo a partir das tipologias do último piso. O edifício localiza-se numa zona nobre da cidade de Lisboa - Campo de Ourique - e a possibilidade de fazer uma ampliação vertical era uma solução bastante apetecível, já que se conseguiria duplicar a área do apartamento. O apartamento, de tipologia T3 e distribuído num único piso, tem uma orientação solar Nascente-Poente. A sala e cozinha estão orientadas a Poente e os três quartos, apoiados por duas casas de banhos, a Nascente. A cobertura existente, em telha, apresentava uma altura reduzida e não tinha qualquer isolamento térmico, o que tornava este último piso termicamente muito desconfortável. As necessidades programáticas desta família com quatro filhos passavam por ter um espaço polivalente de grandes dimensões onde pudessem conviver e brincar. Esta zona deveria ser apoiada por zonas de arrumação o mais generosas possível. Dada a localização do edifício, no cimo de uma colina, também pretendiam um terraço para usufruir da vista envolvente. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar