Ampliar imagem | Tamanho original
O governo húngaro está introduzindo uma nova lei que proíbe a construção de arranha-céus com a esperança de preservar o horizonte de Budapeste. Gergely Gulyás, ministro do gabinete do primeiro ministro do país, declarou recentemente que a proibição afetará todos os edifícios novos com mais de 90 metros de altura em Budapeste. A proibição, porém, não limitará os projetos já aprovados com permissão de planejamento, incluindo a Torre MOL de Foster + Partners, um edifício de grande altura que está sendo construído como parte da nova sede do Grupo MOL. A torre de 120 metros estará isenta pois ganhou previamente a permissão. Gulyás anunciou que o governo tem a intenção de reforçar o controle sobre o desenvolvimento de edifícios altos e a proibição é o primeiro passo nesse plano. Ele agregou que, de acordo com as regulamentações pertinentes, os edifícios de até 65 metros de altura não estarão sujeitos à restrições, enquanto os edifícios entre 65 e 90 metros estarão sujeitos a um complexo processo de concessão de licenças que também levará em conta os critérios estéticos. Após a entrada em vigor da legislação, não haverá margem para a construção de arranha-céus com mais de 90 metros.  Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar