Ampliar imagem | Tamanho original
Chão levantadoNa encosta de Alfama a cidade constrói-se em anfiteatro, olhando o ‘Mar da Palha’. Na base da colina, na planura dos aterros da construção do porto de Lisboa no início do século XX, o edifício do novo Terminal de Cruzeiros ecoa, e devolve-lhe, esse olhar: um pequeno anfiteatro que, aparentemente, vira as costas ao rio e olha a cidade. Compacto (o mais pequeno de todos os projectos que se apresentaram ao concurso público internacional de 2010 para a sua concepção), inscreve-se — com o estacionamento exterior e o tanque de marés — dentro dos muros da antiga doca do Jardim do Tabaco entretanto aterrada, aparentando quase não tocar o solo por entre as árvores do Parque/Boulevard que com ele se instalaram junto ao Tejo. Levantado do chão, eleva consigo o espaço público, transformado num terraço/miradouro — abstracta topografia — entre o rio e a cidade, como uma jangada de transbordo que ambos liga e revela. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar