Ampliar imagem | Tamanho original
Testando os limites da viabilidade estrutural e modelagem computacional, o Komorebi Pavilion 2017 utilizou chapas finas de tereftalato de polietileno (PETG) de forma única para desenvolver um fechamento etéreo e autoportante. O pavilhão é o resultado de uma colaboração entre estudantes de arquitetura da Harvard Graduate School of Design (GSD) e pesquisadores de engenharia da Universidade de Tóquio. O projeto, que durou seis meses, foi liderado pelo arquiteto de Cambridge Mark Mulligan (Professor Associado em Prática, GSD) e o engenheiro estrutural Jun Sato, professor associado de Tóquio, que se reuniu pela primeira vez em julho de 2016 para organizar o quadro para o projeto. Uma charrette em novembro de 2016 da GSD pediu a 60 alunos que criassem um pavilhão auto-portante que usasse somente as folhas de 3/32 "de PETG. O projeto procurou explorar como a aplicação de análises computacionais avançadas poderia ser usada para projetar, fabricar e montar formas estruturais redundantes. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar