Ampliar imagem | Tamanho original
Mais de um milhão e meio de pessoas no Chile pertencem a um dos nove povos originários reconhecidos pelo Estado pela Lei 19.253: Aymara, Quechua, Atacameño, Colla, Diaguita, Rapa Nui, Mapuche, Kawéskar e Yagán. Apesar de representarem 9,1% da população nacional, não são reconhecidos a nível constitucional, e sua cultura (inclusive sua existência) é desconhecida pela grande maioria dos chilenos. Alinhada à Lei 19.253, que exige "respeitar, proteger e promover o desenvolvimento dos indígenas, suas culturas, famílias e comunidades, adotando as medidas adequadas para tais fins", a Direção de Arquitetura do Ministério de Obras Públicas (MOP) do Chile publicou, em 2003, o primeiro guia de desenho arquitetônico para os povos originários Mapuche e Aymara, os mais populosos do país. Os primeiros manuais oficiais foram resultado de um amplo estudo de três anos para incorporar suas características culturais distintivas, padrões de assentamento e os espaços paradigmáticos que abrigaram suas crenças e valores "de maneira harmônica nos projetos de edificação pública", segundo explica a instituição. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar