Ampliar imagem | Tamanho original
Luz é o nome de uma pequena aldeia no sul de Portugal, com 300 habitantes. Devido à construção da barragem do Alqueva, a aldeia da Luz foi submersa. Seus habitantes, bem como sua cultura e origens, tiveram que ser deslocados para uma nova aldeia. O programa de intervenção consistiu na criação de um novo espaço para a igreja reconstruída, um novo cemitério e o Museu da Luz como um importante marco de memória entre a nova e a antiga aldeia. O deslocamento da aldeia da Luz é um ato de substituição, um ato duplo e simultâneo de destruição e fundação. Neste duplo processo de transformação da paisagem, a antiga vila permanece como um embrião conceitual - uma primeira natureza elaborada por séculos de apropriação do território e uma segunda natureza pensada e construída como uma nova identidade. A fundação deste novo lugar pretende absorver, em uma nova situação topográfica e geográfica, analogias com a antiga igreja - a igreja e o cemitério como fortes elementos de identidade e o museu como elemento fundador do novo lugar, com a noção representativa de substituição. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar