Ampliar imagem | Tamanho original
Os desafios associados à oferta de habitação adequada e acessível em todo o mundo exigem que os arquitetos respondam com soluções originais que desafiam formas de construção, tipologias e métodos tradicionais. Em reconhecimento desta demanda, no mês passado, o World Architecture Festiva em Berlim escolheu a habitação como seu foco temático. O festival fez manchetes com o discurso principal inflamatório de Patrik Schumacher que pedia que as cidades fossem entregues inteiramente às forças do mercado, acabando com a habitação social e privatizando todo o espaço público. A controvérsia que se seguiu desmentiu a diversidade do discurso sobre habitação no Festival e a apresentação de respostas arquitetônicas inovadoras aos desafios de habitação. O WAF também apresentou um painel, com curadoria e produção de PLANE-SITE, que reuniu os arquitetos de quatro projetos habitacionais inventivos. Esses projetos representam uma diversidade de abordagens para desafios de habitação semelhantes em contextos globais radicalmente diferentes. Do readensamento dos centros urbanos europeus à rápida urbanização de megalópoles asiáticas, estes modelos radicais de habitação desafiaram os paradigmas existentes a fim de promover o bem-estar dos moradores. Em contraste com o discurso reacionário de Schumacher, o painel apresentou propostas que foram deliberadamente projetadas para promover a vida comunitária e interação social entre os moradores - e em alguns casos também com outros cidadãos em espaços que diluem a fronteira entre público e privado. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar