Ampliar imagem | Tamanho original
A forma do projeto nasceu de uma deformação da Estrela de David, expandida em torno do terreno e seu contexto. Isso é estabelecido mediante um processo de conexão de linhas entre distintos lugares de eventos históricos, resultando na estrutura do edifício, uma literal extrusão dessas linhas até formar um edifício em forma de zigue-zague. O projeto é baseado em duas estruturas lineares que, combinadas, formam o corpo do edifício. A primeira linha está formada por várias torções, enquanto a segunda rompe através de todo o museu. Nas interseções dessas linhas estão os "vazios", espaços que se elevam a 20 metros verticalmente desde o térreo à cobertura e que representam o elemento estrutural do novo edifício e a nova conexão com o edifício antigo. Embora a extensão de Libeskind aparente como um edifício independente, não existe nenhuma entrada exterior formal ao edifício. Para chegar a ele, é necessário adentrar o Kollegienhaus, o antigo museu barroco situado ao lado. O acesso se dá através de um passeio subterrâneo que conduz à escadaria principal, descendendo três níveis até chegar ao primeiro e maior dos três eixos. O contraste material, formal e ilumínico se voltam imediatamente ao presente, gerando uma forte justaposição física entre o edifício antigo e o novo Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar