Ampliar imagem | Tamanho original
Por ocasião da seleção do OMA entre os finalistas da próxima ampliação do Museo del Prado em Madri, o holandês Rem Koolhaas conversou com Anatxu Zabalbeascoa em uma entrevista publicada recentemente pelo El País Semanal. Em relação aos tópicos que rondam sua figura, o Priztker de 2000 e diretor da XIV Bienal de Veneza busca se desmistificar, todavia, insiste em uma palavra: mudança. "A grande maioria de nossos projetos obedece aos mesmos critérios que meus textos: concentram-se mais naquilo que muda que naquilo que permanece", afirma na entrevista. Fascinado pela mudança, Koolhaas declara sua aversão ao conforto; defende a escrita como verdadeira expressão pessoal e volta a flertar com a possibilidade de entrar no mundo da política, uma resposta ao Brexit. "Estou disposto a dar comícios, falar em público e apoiar partidos que se opõem a desunião ", diz ele.  Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar