Ampliar imagem | Tamanho original
Primeira mulher a receber o Prêmio Pritzker de Arquitetura (em 2004) e frequentadora assídua dos primeiros lugares em concurso internacionais de projeto, a arquiteta iraquiana Zaha Hadid conta ao jornal El País que teve a sorte de, quando criança, ter viajado na companhia de seus pais e ter conhecido, assim, algumas das obras de arquitetura e engenharia mais impressionantes da humanidade. Maravilhada com a Mesquita de Córdoba, Hadid conta que o contraste entre a escuridão e a igreja central de mármore lhe marcou a memória, fazendo desta obra uma de suas construções favoritas ainda hoje, após o reconhecimento de seu trabalho entre arquitetos e o público em geral. Com projetos tecnicamente inovadores e formalmente ousados, Hadid nutre por Oscar Niemeyer um carinho e reconhecimento especiais. “Ele era um virtuoso do espaço. Tinha um talento inato para a sensualidade, por isso construiu uma arquitetura moderna crítica à modernidade. Muitos arquitetos experimentaram com as formas, mas ele foi o mais ambicioso: construiu com concreto formas aparentemente líquidas”, aponta a arquiteta. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar