Ampliar imagem | Tamanho original
Para celebrar o Dia das Mulheres, pedimos ao coletivo brasileiro Arquitetas Invisíveis, com sede em Brasília, que compartilhassem conosco parte de sua pesquisa que identifica e enaltece o trabalho das mulheres na Arquitetura e Urbanismo, elas gentilmente nos cederam este material - que apresenta 48 mulheres divididas em sete categorias: pioneiras, "nas sombras", arquitetura, paisagismo, arquitetura social, urbanismo e arquitetura sustentável – que será publicado separadamente durante esta semana. Hoje, apresentamos as arquitetas que viveram "nas sombras" de grandes nomes da arquitetura mundial. Nas sombras  Infelizmente, muitas arquitetas de altíssima qualidade sofreram as nefastas consequências da estrutura social misógina na qual estavam inseridas. Mesmo atuando de maneira substancial e brilhante, raramente galgaram os méritos de seus feitos, muitas vezes concedidos a um arquiteto, por este ser homem. Entre elas, algumas tiveram seus trabalhos legados ao segundo plano devido à ascensão de seus colegas de trabalho, como Aino Aalto, Eileen Gray, Ray Eames e Charlotte Perriad. Outras sofreram mais com as consequências de reviravoltas políticas, como Lilly Reich. Já Marion Mahony Griffin, além de sua colaboração (não reconhecida) com Frank Lloyd Wright, foi uma grande desenhista e ilustradora do estilo da Pradaria, além do projeto para a cidade de Canberra na Austrália. Entre elas, porém, o caso mais conhecido é o de Denise Scott Brown, cujo mérito de sua obra foi ignorado de forma ostensiva, enquanto seu marido recebeu o Prêmio Pritzker sozinho por uma trajetória que, na realidade, foi notoriamente colaborativa.  Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar