Ampliar imagem | Tamanho original
Em 1990, em seu prefácio intitulado "Quantum Leap" para o trabalho de apresentação do projeto Euralille, Rem Koolhaas escreveu: "Em nosso mundo contemporâneo, os programas se tornam abstratos no sentido de que eles não estão mais vinculados a um lugar ou cidade específica. Eles flutuam e gravitam de modo oportunista em torno daqueles lugares que lhes fornecem o maior número de conexões." E, em seguida, "Todos esses fatos descrevem uma nova condição que é ao mesmo tempo local e global, tão importante para o "japonês" quanto para o "lillois". Ao explicar o Projeto Lille-Europa, este texto nos permite compreender que a intervenção foi vinculada imediatamente à construção da Europa, mas também, e mais importante, à ideia de inserir esses lugares em uma rede de hiper-territórios conectados. O OMA integrou totalmente a ideia de que a escala de um bairro construído em torno de uma estação de trem pudesse ser aumentado e amplificado a ponto de soltar-se inteiramente de sua ligação formal com a cidade antiga. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar