Ampliar imagem | Tamanho original
O nome da loja era tão significativo que automaticamente ordenou todas as instâncias do projeto, a obra e o espaço resultante: Simples. Uma casa antiga e um grande galpão se uniram  para formar um generoso espaço de venda de móveis e objetos de decoração. São mais de 600m2 distribuídos principalmente em um pavimento, e um par de mezzaninos menores. O trabalho sobre estes edifícios pré-existentes busca materializar um entorno flexível e perceptivelmente neutro, que possa funcionar como fundo organizador da variedade de produtos que oferece a loja. A intervenção gira em torno ao problema da continuidade e a separação, a unidade e a divisão, em definitivo, opera sobre a construção dos limites internos e suas relações. Praticou-se uma operação aparentemente contraditória onde modificaram-se ambos edifícios para transforma-los em um único espaço e logo interveio-se cuidadosamente para subdividi-lo novamente dando lugar a vários "contentores ambientais". Enquanto a primeira intervenção modifica fortemente a estrutura física e funcional do existente para alcançar unidade, a segunda é mais leve, porque busca organizar as divisórias de uma maneira sutil. Sem perder a unidade do grande espaço, uma série de elementos de arquitetura vão gerando diferentes instâncias espaciais, vão se configurando como limites estruturais que brindam referências para reconhecer uma sucessão de ambientes dentro de um todo. Estes compartimentos são suficientemente ambíguos como para adaptar-se a diferentes escalas, e suficientemente neutros para receber qualquer ambientação que a marca requeira. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar