Ampliar imagem | Tamanho original
A utilização da luz pode levar a diversos sentimentos: um raio de sol chama a atenção; o brilho sobrepõe; o céu noturno fascina, enquanto que uma densa floresta escura desperta medo. As religiões têm feito uso destas experiências para transmitir os aspectos místicos de suas respectivas divindades - assim, também o fazem os seus edifícios construídos. A seguir, uma exploração das diferentes abordagens de uso da luz como veículo de significado simbólico e experiência espiritual em espaços religiosos. Mariendom / Gottfried Böhm Mariendom, de Gottfried Böhm, em Neviges, Alemanha, envolve o visitante contemplativo em um ambiente escuro para focar sua atenção para longe do mundo material e em direção à iluminação interior. A luz do dia, que entra através de pequenas claraboias, destaca levemente o altar. O conceito joga deliberadamente com a adaptação, em que o olho se ajusta lentamente a partir de um exterior brilhante para o interior mais escuro, dando a impressão de que o ambiente se torna um pouco mais claro ao longo de vários minutos. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar