Ampliar imagem | Tamanho original
Um volume cilíndrico de tijolos, sem aberturas laterais. Mede cinquenta metros de diâmetro e nove metros e dez centímetros de altura. Surge de um espelho d'água circular em torno do seu perímetro. Dele saem os doze arcos de raios diferentes, porém dispostos simetricamente, que sustentam o edifício. Um escultura de alumínio coroa o edifício e marca o ponto de entrada da iluminação zenital ao altar. O edifício é marcado pela forma interna e a luz, que buscam despertar a espiritualidade do individuo. A forma cilíndrica da construção busca se contrapor à malha ortogonal do campus da universidade. Escondida numa pequena área arborizada do campus, a capela é disposta como um objeto simples em meio ao lugar. No interior, o individuo é transportado a um espaço inesperado, desconhecido da fachada exterior. A parte interna é inundada por um elevado nível de detalhes e qualidades que são reforçadas pela luz natural filtrada. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar