Ampliar imagem | Tamanho original
História Em 1892 a companhia de metais Huanchaca da Bolívia estabelece, no setor denominado playa blanca de Antofagasta, uma refinaria de prata que chegaria a ser a maior e mais moderna da América do Sul. Entretanto, a queda do preço da prata nos mercados internacionais, a produção de minerais de menor qualidade que nos anos anteriores e problemas no depósito de Pulacayo produziu uma paulatina decadência que culminou com a paralisação da instalação em 1902. Começa assim o processo de desmantelamento das instalações, primeira causa da deterioração das ruínas que se mantiveram há poucos anos. Contexto urbano Os terrenos onde se localizam as Ruínas de Huanchaca, propriedade da Universidade Católica do Norte, junto aos terrenos que, faz poucos anos pertenciam ao exército, compreendem uma extensa superfície da cidade de Antofagasta, que compreende a Av. Argentina pelo leste até a beira mar no oeste, e desde o campus urbano da universidade Católica do Norte pelo norte até o acesso sul de Antofagasta pela rota La Negra. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar