Ampliar imagem | Tamanho original
No Brasil do século XXI, cujas cidades - onde vivem 85% da população nacional - são palco de contradições, violência, “incivilidades”, especulação imobiliária e disputas de poder, o espaço público parece sucumbir ao medo e à segregação, atuando, cada vez menos, como cenário de trocas culturais e de convívio cidadão.  Meio século após o histórico seminário sobre reforma urbana realizado no Hotel Quitandinha, em Petrópolis, quando a população urbana do país era de apenas 45% dos habitantes – na época Brasília era uma experiência ainda a ser vivida e Jane Jacobs recém lançara seu alerta sobre a deterioração da civitas - o Instituto de Arquitetos do Brasil promove a série de seminários Quitandinha + 50, com o intuito de discutir as metrópoles brasileiras, o território, a moradia, e o papel do espaço público na cidade do futuro.  Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar