Ampliar imagem | Tamanho original
James Carpenter Design Associates liderou a reorganização, expansão e nova construção do Museu de Israel, Jerusalém, enquanto o Efrat-Kowalsky Architects foi responsável pela renovação dos edifícios existentes do museu. A expansão envolve a nova construção (aproximadamente 95,000 m²), a reorganização da circulação dos visitantes, Pavilhões de Entrada e um Pavilhão de Entrada da Galeria, melhorando a acessibilidade. A renovação das galerias existentes abrange cerca de 100.000 m². A qualidade de luz particular de Jerusalém, resultado da longitude e da latitude, do clima, da geografia e da topografia, é única. Nós acreditamos que parte integrante da experiência do lugar seja a experiência da luz e, em vista de sua história cultural, a particularidade da luz em Jerusalém é evidentemente poderosa. A abordagem do JCDA para a renovação e expansão do Museu de Israel foi a de misturar nossa cuidadosa consideração pela luz na paisagem com uma atenção rigorosa ao ambiente construído existente. Visitas iniciais ao museu estabeleceram a necessidade de reconectar o existente, e extraordinário, jardim de Isamu Noguchi com a interpretação regional de Alfred Mansfeld da arquitetura moderna. Uma das orientações principais foi dissolver as barreiras entre o jardim e  as construções interiores e transformar a condição de luz intensa do Mediterrâneo, que para um museu pode ser um problema, em uma oportunidade de integrar uma experiência sensorial de luz. Nosso projeto organiza e insere luz e informação de luz na nova arquitetura. Esta informação especificamente incorpora a qualidade da luz encontrada na paisagem do campus e é utilizada para ativar os Pavilhões de Entrada, o Pavilhão de Entrada da Galeria e a principal passagem subterrânea ligando os dois - a Rota de Passagem. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar