Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Sustentabilidade

Sustentabilidade: O mais recente de arquitetura e notícia

Dicas para aproveitar a água da chuva nos projetos de arquitetura

A quantidade total de água em nosso planeta é, teoricamente, a mesma desde sua formação. É possível que aquele copo de água tomado mais cedo contenha partículas que já correram pelo Rio Ganges, algumas que passaram pelo sistema digestivo de um dinossauro e outras que resfriaram um reator nuclear. Claro, antes de matar a sua sede, ela evaporou e caiu como chuva milhões de vezes. A água pode ser poluída, desrespeitada, mal usada, mas nunca criada ou destruída. Segundo um estudo da UNESCO, estima-se que a Terra contenha cerca de 1386 milhões de quilômetros cúbicos de água. No entanto, 97,5% deste montante são águas salinas e apenas 2,5%, água doce. Desse tanto, a maior parte (68,7%) está na forma de gelo e neve permanente na Antártida, Ártico e em regiões montanhosas. Em seguida, 29,9% existem como águas subterrâneas. Apenas 0,26% da quantidade total de água doce da Terra está disponível nos lagos, reservatórios e bacias hidrográficas, mais facilmente acessíveis para as necessidades econômicas e vitais do mundo. Com o aumento populacional, sobretudo em áreas urbanas, diversos países já apresentam severos problemas a ofertar a quantidade de água potável a suas populações.

Enfrentando inundações urbanas: 7 soluções para cidades-esponja

A infraestrutura de drenagem urbana existente em grande parte das cidades, principalmente as brasileiras, já se encontram obsoletas, sendo assim, necessário sua expansão e adequação. Mas para isso, é preciso pensar em um novo modelo de gestão dessas águas, que considere aspectos que há muito tempo foram esquecidos, como aqueles ligados à ecologia. Nos últimos anos, o termo ecologia urbana ganhou espaço como uma forma de produzir cidades regenerativas e mais resilientes. Essas cidades têm sido chamadas de cidades ecológicas ou biocidades. Termos semelhantes, mas que variam de autor para autor, e têm em comum o fato de terem como principal linha de condução o uso de soluções baseadas na natureza e nas relações ecológicas. 

Exemplo de cobertura verde. Foto © DJANDYW.COM/Flickr. Licença CC Jardim de Chuva do Centro Cultural Fundição Progresso – Rio de Janeiro. Imagem © Luiz Franco Plantação na fachada com cabos de aço, Imagem © Carlo Baroni Ilhas artificias que purificam cursos d’água na Filipinas. Cortesia de Biomatrix + 10

Atelier Marko Brajovic projeta biblioteca flutuante na Floresta Amazônica

O Atelier Marko Brajovic divulgou recentemente o projeto de uma Biblioteca Comunitária Flutuante no lago Mamori, na Floresta Amazônica. Desenvolvido em estreita colaboração com a comunidade local, o projeto pretende se tornar uma referência para a construção sustentável e educação ambiental.

Cortesia de Atelier Marko Brajovic Cortesia de Atelier Marko Brajovic Cortesia de Atelier Marko Brajovic Cortesia de Atelier Marko Brajovic + 12

Itália oferece 500 euros para pessoas comprarem bicicletas durante pandemia do coronavírus

A Itália aprovou um projeto que concede bônus de até 500 euros (cerca de R$ 3,1 mil) para ajudar os moradores de cidades com mais de 50 mil habitantes a comprarem uma bicicleta. A medida está prevista no decreto-lei aprovado em 13 de maio pelo Conselho de Ministros para incentivar a retomada econômica do país, em meio à pandemia do novo coronavírus. Além disso, o projeto também incentiva o uso de veículos não poluentes.

A erotização da prática arquitetônica

Habitamos um mundo com cicatrizes históricas e maltratado por nós, uma humanidade que insiste em se descolar e subjugar a natureza à qual pertence. No ritmo acelerado do capitalismo global esquecemos, em realidade, de nós mesmos, esquecendo que temos um olhar próprio, e isso acaba como esquecimento do mundo em si.

UNStudio conclui obras de reforma da sede da Hanwha em Seul

O UNStudio acaba de concluir as obras de reforma da sede da Hanwha em Seul, enquanto a edificação permaneceu totalmente ocupada. As operações de reforma criaram um estabelecimento moderno que atende aos requisitos atuais de sustentabilidade.

Cortesia de UNStudio Cortesia de UNStudio Cortesia de UNStudio Cortesia de UNStudio + 19

Cidades inteligentes, mudanças climáticas e vulnerabilidades

Atualmente, mais da metade da população mundial vive em cidades e se espera que esse número cresça para cerca de 70% até 2050, sendo que a maior parte das construções se concentrará em cidades localizadas na África, Ásia e América Latina, de acordo com dados das Nações Unidas (2017).

Dessa forma, as cidades ocupam papel de destaque em relação às mudanças climáticas, já que tendem a ser os locais de maior emissão de gases de efeito estufa (GEE) causado pelas atividades antrópicas e onde muitos dos impactos ocorrerão.

Conforto, interação e eficiência: inteligência artificial em projetos de interiores

A adesão das novas tecnologias na prática da arquitetura vêm crescendo e expandido as possibilidades projetuais os últimos anos. O emprego da automação de processos e funções ligadas ao universo da construção pode ir desde as estratégias de planejamento nas cidades, até a escala mínima das demandas cotidianas de um programa doméstico, por exemplo. Um dos mais relevantes meios de incorporação das tecnologias recentes nos escritórios é por meio do que se conhece como inteligência artificial, que refere-se, em linhas gerais, ao uso de dados que podem "ensinar" as máquinas a funcionarem em níveis diversos de autonomia.

White Arkitekter + ReGen Villages desenvolvem comunidade autossuficiente na Suécia

A White Arkitekter, em colaboração com a ReGen Villages, desenvolveu o projeto de uma comunidade autossuficiente e resiliente na Suécia, que funciona a partir de princípios de economia circular. Inspirado em jogos de computador, o projeto conta com produção de alimentos orgânicos e produção de energia de fontes renováveis, além de promover a reciclagens e contar com edifícios neutros em carbono.

Economia de meios é tema de debates promovidos pela Trienal de Lisboa

A Trienal de Arquitetura de Lisboa divulgou em seu canal no Vimeo a série de debates Talk, Talk, Talk realizada no âmbito de sua edição de sua 5ª edição, que teve curadoria geral de Éric Lapierre. Dividida em cinco grandes exposições, a Trienal abordou em uma delas a questão da economia de meios, tema destes debates aqui mostrados.

Uma cidade onde as pessoas plantam sua própria comida

Les Avanchets é uma cidade na Suíça onde a maioria das pessoas cultivam os seus próprios alimentos em hortas caseiras. Além do cultivo, a troca de alimentos também é muito comum: quem tem cenouras sobrando troca por couves ou limão e assim todos garante uma alimentação saudável e variada, sem agrotóxicos.

5 Perguntas comuns de projeto para equilibrar sustentabilidade e custo

Os arquitetos de hoje enfrentam uma tarefa comum que desafia a intuição - como equilibrar o desempenho da construção e metas estritas de carbono e custos. A sustentabilidade nas edificações é certamente uma meta digna e necessária, mas a quantidade de opções pode ser avassaladora e os custos proibitivos, especialmente aos olhos dos proprietários. Como os projetistas podem convencer melhor seus clientes a integrar sustentabilidade em um projeto? Manter os custos baixos e fazer decisões com análise baseada em fatos são os primeiros passos sólidos.

Mais de 40 horas de cursos online sobre BIM e sustentabilidade no canal da AsBEA-RS

A Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura do Rio Grande do Sul - AsBEA-RS lançou em seu canal do Youtube mais de 40 horas de vídeos com aulas e discussões sobre BIM, sustentabilidade, normas técnicas e outros temas relacionados à arquitetura.

WOHA projeta parque público e campus sustentável em Bangladesh

A WOHA e a Universidade BRAC publicaram recentemente novas imagens do projeto desenvolvido para o novo campus da instituição em Bangladesh. Localizado em uma propriedade de mais de vinte e cinco mil metros quadrados, o edifício de quase noventa mil metros quadrados deverá ser concluído no ano que vem. Implantada no centro da capital Dhaka, o novo Campus da Universidade BRAC transformará um antigo terreno subutilizado em um novo campus urbano público, sustentável e acessível.

Cortesia de WOHA Cortesia de WOHA Cortesia de WOHA Cortesia de WOHA + 9

VIII Congresso de Arquitetura e Construção com Terra no Brasil – TerraBrasil 2020

O TerraBrasil 2020, que ocorrerá pela primeira vez no sul do país.
O tema “Habitar a Terra” aborda processos de projeto arquitetônico e questões culturais relacionadas ao habitat humano, através da perspectiva de responsabilidade social e ambiental. O congresso oferece dois dias de oficinas práticas de construção com terra e dois dias de evento científico.

Complexidade e alta entropia: em que medida ainda é possível planejar a cidade no século XXI?

As aglomerações, do ponto de vista natural, representam uma nucleação semelhante ao “modelo gravitacional”, onde os fluxos de energia e matéria seriam “otimizados”, através da aproximação e articulação – o centro urbano. Etimologicamente, como sabemos, pólis, do grego, indica o caráter coletivo e político da formação do espaço urbano.

SAAU'20 - Semana Acadêmica de Arquitetura e Urbanismo do UNIESP

Curso de Arquitetura e Urbanismo do UNIESP promove a SAAU’20, Semana Acadêmica de Arquitetura e Urbanismo.

O evento será realizado entre os dias 13 e 17 do mês de abril. O tema deste ano está voltado para o debate acerca da nossa arquitetura, com o título “Do vernacular ao contemporâneo – rumos da arquitetura latino-americana. O objetivo principal deste evento é aprofundar o debate sobre o processo de descolonização, perpassando pelo fortalecimento dos saberes vernaculares como das inovações tecnológicas, à concepção e produção projetual no campo disciplinar da arquitetura e do urbanismo, do Nordeste, do Brasil e da América Latina. Para

A atmosfera criada pela iluminação zenital em 20 projetos de arquitetura

Talvez a abertura zenital mais célebre já construída seja o Panteão de Roma, encomendado por Marco Vipsânio Agripa durante o reinado do imperador Augusto (r. 27 a.C.–14 d.C.) e reconstruído por Adriano (r. 117–138) por volta de 126. No ponto mais alto da sua cúpula (neste caso, o óculo) brilha a luz do sol, lançando seus feixes sobre as várias estátuas de divindades planetárias que ocupam os nichos nas paredes. A luz que adentra o espaço simbolizava uma dimensão cósmica, sagrada. A luz natural continua cumprindo esse papel cênico, quando bem utilizada, sobretudo em projetos religiosos.

Caracteriza-se iluminação zenital como a que vem de cima, do céu (zênite). Muito útil para espaços grandes que não possam ser adequadamente iluminadas por janelas, as claraboias são um artifício amplamente usado e que proporcionam uma luz difusa agradável ao espaço. Geralmente toma-se o cuidado que não permitam a entrada do sol, para não aquecer demasiadamente o local e devem ser bem projetadas e construídas para que não sejam pontos de infiltração de água. Veja, abaixo, uma coletânea de projetos que utilizam essa solução:

© Mathias Kestel © Hufton + Crow © Christian Richters © Andrew Lee + 44