Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Diogo Seixas Lopes

Diogo Seixas Lopes: O mais recente de arquitetura e notícia

Trienal de Arquitetura de Lisboa: “É sempre à forma que regressa o arquiteto”

Com curadoria de André Tavares e Diogo Seixas Lopes, a quarta edição da Trienal de Arquitetura de Lisboa traz como tema A Forma da Forma, sentença que resume a opinião de Lucinda Canelas quando diz que “é sempre à forma que regressa o arquiteto, por mais intensas que tenham sido as discussões à volta de outros temas e situações, no atelier ou no estaleiro de obra.”

Trienal de Arquitectura de Lisboa abre chamada para projetos

A Trienal de Arquitectura de Lisboa convida a apresentação de candidaturas de projetos associados para integrar a 4ª edição do evento, que tem curadoria de André Tavares e Diogo Seixas Lopes. A organização desafia arquitetos, artistas, curadores e todos os envolvidos nas áreas artísticas e criativas, a participar através de projetos com financiamento próprio que estimulem e questionem a prática e uma reflexão sobre a arquitetura contemporânea.

Divulgado o tema da Trienal de Lisboa de 2016: “Constelações – uma pausa para a utopia”

O tema da quarta edição da Trienal de Arquitetura de Lisboa, que terá início em outubro de 2016, foi divulgado: Constelações – uma pausa para a utopia. O evento contará com três núcleos principais, distribuídos entre o Museu da Electricidade, a Fundação Calouste Gulbenkian e o Centro Cultural de Belém, além de uma série de eventos paralelos.

Serão três meses de programação “dirigida à cidade, aos arquitetos e ao público internacional, junto do qual a Trienal se tem vindo a afirmar”, explicou André Tavares, durante a apresentação pública realizada no dia 05 de dezembro no Palácio Sinel de Cordes que atualmente acolhe a estrutura da Trienal.

André Tavares e Diogo Seixas Lopes são os responsáveis pela curadoria, na sequência da britânica Beatrice Galilee, responsável por Close, Closer (2013), do crítico de arte Delfim Sardo, com Falemos de Casas (2010), e de José Mateus, curador geral de Vazios Urbanos, a primeira edição da Trienal (2007).