1. ArchDaily
  2. Data Visualizations

Data Visualizations: O mais recente de arquitetura e notícia

Como a visualização de dados pode moldar a arquitetura e as cidades

Manuel Lima é um designer e pesquisador conhecido por seu trabalho em visualização e mapeamento de redes complexas. Ele é o fundador do VisualComplexity.com, membro da Royal Society of Arts, e foi nomeado uma das "50 mentes mais criativas e influentes" pela revista Creativity. Hoje, ele trabalha como gerente sênior de experiência do usuário na Google.

A entrevista a seguir explora suas inspirações e processos, assim como seus pontos de vista sobre como a visualização dos dados pode ajudar a melhorar a qualidade das nossas cidades. 

Infográfico interativo acompanha o crescimento das megacidades

Com mais de 7 bilhões de pessoas habitando o planeta, o maior crescimento populacional no último século aconteceu nas áreas urbanas. Agora, uma nova série de mapas interativos intitulados "The Age of Megacities" e desenvolvidos pela companhia de software ESRI permite-nos visualizar esses dramáticos efeitos e ver como o crescimento moldou a geografia de 10 das 28 maiores cidades do mundo. Definidas como áreas de desenvolvimento urbano contínuo com mais de 10 milhões de pessoas, o número de megacidades no mundo tende a aumentar; e enquanto Tóquio ainda lidera a lista das maiores megacidades , outras gigantes da Ásia estão se aproximando rapidamente.

Engenheiros mapeiam todos os edifícios dos Países Baixos

A Waag Society, juntamente com o designer e engenheiro Bert Spaan, puseram novamente os Países Baixos no mapa - um mapa de dados. Após meses de programação, a parceria levantou dados de 9.866.539 edifícios no país, visualizados em cores que variam de acordo com a idade do edifício. Ao clicar em uma quadra específica, informações adicionais aparecem, como por exemplo a área, endereço, população e programas, dentre outros dados. Os usuários podem navegar de Amsterdã para Haia experienciando centenas de anos de desenvolvimento urbano ao longo do caminho, edifícios de antes de 1800 até os construídos hoje, indicados pelo gradiente que varia de vermelho a azul.