1. ArchDaily
  2. Arte Pública

Arte Pública: O mais recente de arquitetura e notícia

Intervenções artísticas que interagem com as ruas de Saint Etienne, França

Saint Etienne é uma cidade industrial francesa que está passando por um período de regeneração através da arte. Neste contexto, um dos artistas que é, em parte, responsável por isso é OAKOAK

Este artista, natural da cidade, buscou alterar o aspecto deteriorado das ruas, transformando suas rachaduras – algo que muitos vêm como reflexo do descaso – em cenas inusitadas com personagens e situações diversas, tornando os espaços urbanos mais atraentes.

© OAKOAK© OAKOAK© OAKOAK© OAKOAK+ 25

As 17 intervenções urbanas mais belas do mundo realizadas em escadarias

Apresentamos a seguir uma lista que traz as 17 escadarias urbanas mais belas do mundo. A lista, é claro, não analisou todas as escadarias do mundo, mas se deteve àquelas que receberam algum tipo de intervenção artística, seja através de mosaicos, grafites, vegetação ou mesmo origamis. Entre elas estão duas escadas brasileiras, ambas no Rio de Janeiro.

Confira a galeria de fotos das escadas, a seguir.

Os melhores grafites do "Mural Festival 2014"

O Boulevard Saint-Laurent em Montreal, Canadá, recebeu mais de 14 murais como parte da segunda edição do Mural Festival, realizada em meados de junho.

Durante quatro dias as pessoas não apenas puderam assistir o processo de criação de 20 grafiteiros de diferentes países, mas também participaram de exposições de arte, intervenções urbanas, documentários sobre arte de rua e música ao vivo.

Entre os grafiteiros estavam dois latino-americanos: o chileno INTI, que fez o mural "A sede de ouro nos deixará sem água", e o porto-riquenho Alexis Diaz.

Confira alguns dos melhores murais, a seguir.

Os melhores grafites do Mural Festival 2014Os melhores grafites do Mural Festival 2014Fred Caron © Sandra LarochelleOs melhores grafites do Mural Festival 2014+ 16

“Hibridização”: A rua como extensão dos espaços privados

A falta de espaços públicos nas cidades tem levado cidadãos e grupos artísticos a inventarem novas formas de compartilhar o espaço das ruas.

Uma ideia recente do escritório de arquitetura MoCo Loco foi deslocar parte dos espaços privados das casas para as ruas da cidade de Salvador, Bahia.

Mais informações a seguir.

The Busking Project: A música e a dança no espaço público

Nick Broad vivia com sua avó e um violinista chinês que fazia música no metrô de Nova Iorque (ele seria sua inspiração para seu futuro grande projeto. Reveja sua história aqui). Dada sua fixação por arte e por manifestações culturais começou, como hobby, um site onde documentava e armazenava pequenos vídeos de artistas de rua que captava enquanto circulava de um lugar ao outro pela cidade. Em 2010 Nick perdeu sua avó e seu trabalho, foi nesse momento, quando não tinha onde viver nem como ganhar dinheiro, que começou The Busking Project.

Alguns dias depois, Nick comentou a uns amigos que tinha vontade de fazer uma viagem pelo mundo, conhecendo e documentando a música de rua. Seus amigos, Chris e Belle o apoiaram e se juntaram a ele. Foi assim que começaram a planejar uma viagem por 40 cidades através dos cinco continentes, com um intenso programa de seis dias em cada uma, o suficiente para coletar muito material. Calcularam os gastos, fizeram vários eventos para arrecadar fundos e no dia 9 de março de 2011, sem os recursos nem a preparação necessária, se lançaram a essa aventura.

Que tal essa ideia? Intervenção urbana “Park and Slide"

O artista britânico Luke Jerram, o mesmo que no final do ano passado instalou 20 pianos nas ruas de Santiago com sua intervenção “Play me, I’m yours”, lançou uma campanha de financiamento coletivo para intervir na Park Street, uma das principais avenidas de Bristol (Reino Unido), com um tobogã d’água de 90 metros de comprimento.

Caso consiga apoio, o município fecharia a avenida aos carros no dia 4 de maio como parte do programa “Make Sundays Special”, para os interessados possam escorregar pelo tobogã e desfrutar da cidade a partir de uma experiência mais divertida e inusitada.

Os contrastes de Xangai mostrados pela instalação HOME

“O lar não é só o lugar em que vivemos, é também onde nos sentimos tranquilos e seguros, é um lugar que nos pertence.” É assim que a artista chilena Antonieta Landa, membro do Laboratorio Escénico Visual (LEV), apresenta a instalação HOME, que acaba de realizar em Xangai (China).

A paisagem de Xangai muda bastante durante o dia e a noite. Durante o dia, por exemplo, caracteriza-se por ser bastante cinza devido à poluição e aos grandes edifícios que escondem o céu. Por outro lado, a noite de Xangai se destaca por suas luzes coloridas.

© Antonieta Landa© Antonieta Landa© Antonieta Landa© Antonieta Landa+ 6

Vídeo timelapse: O mural “La Virgen de la Discordia” de INTI em Porto Rico

O muralista chileno de destaque INTI não só deixou sua arte nas ruas de Santiago e Valparaíso, mas também os estampou em edifícios de vários países latino-americanos, europeus e do Oriente Médio, o que o consagrou como um dos mais destacados muralistas contemporâneos.

Em dezembro de 2013, executou dois enormes murais na saída do metrô Bellas Artes como parte da segunda edição do festival de intervenções urbanas, Hecho en Casa, realizado em nove municípios de Santiago.

Wallpeople 2013 – Music Edition: Transforme um muro em galeria de arte

No dia 1 de Junho, o coletivo Wallpeople convoca cidadãos do Rio, São Paulo e de mais 40 cidades do mundo a transformarem muros vazios em galerias de arte ao ar livre. Pessoas, artistas ou não, promoverão a interação e expressão de ideias com suas próprias criações artísticas sob o tema “música”.

Quem se interessou pode explorar qualquer estilo e gênero musical nas mais diversas possibilidades. Segue algumas dicas:

A Cidade é para Brincar - Basurama Brasil

Qualquer espaço da cidade pode se transformar num playground quando há liberdade, quando há interação e quando há pessoas querendo se divertir, se relaxar e brincar juntas. "A Cidade é para Brincar", evento que acontece durante todo o mês de setembro em diferentes lugares de São paulo, é o momento que cidade oferece essas condições.

O encontro da arte com o jogo cria ambientes onde as crianças agem de maneira criativa e intuitiva. Esses ambientes não estão governados pelas leis do mundo dos adultos: a superfície para se mover não é só o chão, a interação com desconhecidos é possível e os resíduos não existem. Basurama homenageia as arquitetas-artistas-designers Elvira de Almeida e Lina Bo Bardi, que criaram esse tipo de lugares.

Vídeo: Spirit of Space captura a essência da arte pública de Chicago

Spirit of Space compartilhou conosco sua mais recente colaboração com Phil Enquist do escritório Skidmore, Owings & Merrill: o vídeo Art in the City. Unindo poderosas citações com imagens das obras mais proeminentes de Chicago, o filme "expressa a vitalidade e vibração que a arte pública pode trazer ao ambiente urbano ao incluir experimentalmente o espectador na realização do lugar." Como descreve Spirit of Space, "a arte é um reflexo da Cidade, a arte se torna uma parte da Cidade, a arte é um instrumento na confecção da Cidade."

Ilusões urbanas de Mike Hewson

Trabalhando com o tema da memória urbana, o artista neozelandês Mike Hewson apresenta obras que (re)criam espaços virtuais através de desenhos e ilusão de ótica.

Na série Homage to the Lost Spaces (Homenagem aos Espaços Perdidos), Hewson fez intervenções de imagens em destroços de edifícios da cidade de Christchurch, Nova Zelândia, após um terremoto em 2011.

Outdoors convertidos em canteiros de bambu: intervenção “Urban Air”

Uma cidade em desenvolvimento e um meio ambiente saudável sempre foram elementos difíceis de conciliar, tanto para urbanistas quanto para engenheiros, arquitetos, políticos e outros agentes. Sem dúvida, a arte – através de intervenções como a apresentada – sempre tem uma resposta, ainda que os problemas sejam mais complexos.

Urban Air” é o nome do projeto do artista californiano Stephen Galssman. Sua proposta é a seguinte: substituir outdoors por canteiros de bambu, com sensores de qualidade do ar. Assim, a obra se transforma em um símbolo de um futuro em que as cidades não apenas se desenvolvem em porte e riqueza, mas são capazes de gerir seu próprio crescimento de maneira sustentável e em harmonia com a natureza.

Cortesia de Stephen GlassmanCortesia de Stephen GlassmanCortesia de Stephen GlassmanCortesia de Stephen Glassman+ 8

Pequenas arquiteturas

Apresentamos estas intervenções urbanas feitas pelo grupo EVOL, criadas a partir da aplicação de estêncil sobre remanescentes de construções e outros equipamentos urbanos. Através desta técnica de gravura, são impressas texturas que trazem as fachadas de edifícios a uma escala diminuta, conformando paisagens miniaturizadas de conjuntos de edifícios e cidades.

Pequenas arquiteturas Pequenas arquiteturas Pequenas arquiteturas Pequenas arquiteturas + 12

“Ballroom Luminoso”: Luminárias feitas com peças de bicicletas

Reciclagem e revitalização de um espaço público é o que caracteriza a instalação "Ballroom Luminoso". Seis lâmpadas feitas com engrenagens de bicicletas e luzes LED, trouxeram vida a um espaço sob um viaduto da rodovia I-35 em San Antonio, EUA; outrora uma verdadeira fronteira entre os bairros adjacentes.

A intervenção foi criada pelos artistas Joe O’Connell e Blessing Hancock, que apresentaram-na como uma proposta para o novo Plano de Arte Pública para a cidade que considera implementar 25 projetos culturais em pontos distintos e parques urbanos até 2017.

Cortesia de treehuggerCortesia de mymodernmet.comCortesia de mymodernmet.comCortesia de treehugger+ 11

Curativos Urbanos – um olhar lúdico para os problemas da cidade

Cinco moradores de São Paulo e uma do Rio de Janeiro encontraram uma maneira lúdica, divertida e efetiva de chamar a atenção para as calçadas problemáticas dessas cidades (aliás, calçadas com problemas não é uma exclusividade destas duas cidades, como bem sabemos): fazer “curativos” em todos os locais das calçadas que apresentassem algum tipo de irregularidade.

A iniciativa surgiu a partir de conversas semanais sobre mobilidade urbana, espaços públicos e a vontade de fazer algo que ajudasse, de algum modo, a melhorar a cidade que habitamos.

Cortesia de fotografia.folha.uol.com.br/Cortesia de fotografia.folha.uol.com.br/Cortesia de comunicriacao.comCortesia de fotografia.folha.uol.com.br/+ 8

Intervenções artísticas em 90 estações do metrô de Estocolmo, Suécia

Por Constanza Martínez Gaete via Plataforma Urbana. Tradução Archdaily Brasil.

O metrô de Estocolmo, capital sueca, conta com linhas classificadas em três grupos e 100 estações, das quais 90 tiveram intervenções com várias exposições de arte, esculturas, fotografias, instalações luminosas, mosaicos e pinturas, formando, assim, uma galeria de arte. Acessos, escadas, passarelas, túneis e até mesmo trens receberam intervenções para que os passageiros conhecessem a cultura local desde os anos 50, década que foi inaugurado, até hoje.

Implantada em grande parte dos 110 quilômetros de extensão do metrô, a mostra conseguiu democratizar o acesso à arte, uma vez que todos os passageiros podem esperar o trem ao mesmo tempo em que contemplam esculturas, murais e instalações.

Mais imagens na seqüência.

Arte Pública "Sculpture Mirage" / Paul Raff Studio