Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Arranha Ceus

Arranha Ceus: O mais recente de arquitetura e notícia

Arranha-céu de Viñoly em Londres é "inchado" e "deselegante"

15:00 - 9 Janeiro, 2015
Arranha-céu de Viñoly em Londres é "inchado" e "deselegante", 20 Fenchurch Street ('Walkie-Talkie) / Rafael Viñoly Architects. Imagem © Jason Hawkes
20 Fenchurch Street ('Walkie-Talkie) / Rafael Viñoly Architects. Imagem © Jason Hawkes

Em uma análise do edifício 20 Fenchurch Street de Rafael Viñoly, também conhecido como "Walkie-Talkie" ou "Walkie Scorchie" após o reflexo do sol em sua fachada ter criado um raio de calor que chegou a derreter alguns carros, Rowan Moore questiona a preocupação de Londres com edifícios icônicos e seus projetos de planejamento guiados pelo mercado. Usando o 20 Fenchurch Street como exemplo, Moore argumenta que o edifício não apenas parece "não ter nenhuma relação com seu entorno", mas seu Sky Garden - um terraço na cobertura do edifício proclamado o "parque público mais alto do Reino Unido" - é um símbolo de uma economia desconcertantemente desequilibrada.

ThyssenKrupp promete revolucionar o projeto de arranha-céus através de uma inovação em elevadores

15:00 - 16 Dezembro, 2014
ThyssenKrupp promete revolucionar o projeto de arranha-céus através de uma inovação em elevadores, © ThyssenKruppe
© ThyssenKruppe

A fabricante de elevadores ThyssenKrupp divulgou seu mais recente avanço tecnológico, um elevador multidirecional sem cabos que tem o potencial de revolucionar a dimensão e a forma dos arranha-céus do futuro. Operando através de tecnologia magnética similar à utilizada nos trens Maglev, com cada cabine contando com seu motor individual, o sistema de elevadores "MULTI" cria a possibilidade das cabines se deslocarem também horizontalmente, permitindo, por sua vez, que diversas cabines operem em um único sistema.

Os 10 edifícios mais altos já demolidos

17:00 - 16 Julho, 2014
Os 10 edifícios mais altos já demolidos, Savoy-Plaza Hotel, New York City. Image via Wikimedia
Savoy-Plaza Hotel, New York City. Image via Wikimedia

A lista a seguir dos dez edifícios mais altos já demolidos, compilada por Michael Aynsley, foi originalmente publicada em BuzzBuzzHome.

Antes de começar a contagem regressiva, uma ressalva: esta lista considera apenas edifícios que foram demolidos intencionalmente por seus proprietários. Se incluísse todas as estruturas em altura que não estão mais de pé, as posições de número um, dois e quatro seriam ocupadas por três edifícios do World Trade Center, tragicamente destruídos em 11 de setembro de 2001.

Justiça de SC libera as obras do maior arranha-céu do Brasil

15:00 - 3 Julho, 2014
Justiça de SC libera as obras do maior arranha-céu do Brasil, Courtesy of skyscrapercity
Courtesy of skyscrapercity

Após ter suas obras embargadas pelo Ministério Público Estadual (MPE-SC) por danos ambientais, o (futuro) edifício mais alto do Brasil - o Infinity Coast, em Balneário Camboriú - obteve da Justiça a liberação para continuar os trabalhos de construção.

Prevista para ter 66 pavimentos e 240 metros de altura, a obra fora embargada há pouco mais de dois meses pois parte do edifício está localizado a menos de 12 metros do Canal do Marambaia, desrespeitando a distância mínima de 30 metros estabelecida pela legislação federal.

Panamá, único país latino-americano no ranking de arranha-céus mais altos do mundo de 2013

19:00 - 8 Fevereiro, 2014
Panamá, único país latino-americano no ranking de arranha-céus mais altos do mundo de 2013, Bicsa Financial Center . Image via Skyscrapercity
Bicsa Financial Center . Image via Skyscrapercity

Com um total de 73 edifícios de mais de 200 metros, 2013 foi o segundo ano mais bem sucedido em termos de construção de arranha-céus em todo o mundo, de acordo com o mais recente relatório do "Edifícios em Números" do Conselho sobre Edifícios Altos e Habitat Urbano (CTBUH). A partir de um aspecto geral, a Ásia responde por três quartos dos edifícios mais altos, em comparação com a América que teve apenas 3 arranha-céus. Destes, o Panamá é o único país representando a América Latina e a América Central no ranking, com o Financial Center Bicsa e o Centro de Artes na Cidade do Panamá. Por sua vez, a América do Norte possui o 1717 Broadway, nos Estados Unidos.

Veja os resultados abaixo.

The Indicator: o que sobe não desce

10:00 - 27 Janeiro, 2014
The Indicator: o que sobe não desce, One World Trade Center as seen from the Hudson River. Image © Joe Mabel via Wikipedia
One World Trade Center as seen from the Hudson River. Image © Joe Mabel via Wikipedia

Todos nós sabemos o que o crítico de arquitetura Banksy pensa sobre 1 World Trade Center. Ele vergonhosamente o chamou de "shyscraper" em um artigo que o New York Times se recusou a publicar. Mas isso não impediu o artigo de circular e irritar moradores de Nova York. É possível encontrá-lo em seu site, ridicularizado para aparecer como uma manchete de primeira página.

Nele, ele escreve "Lembra uma criança muito alta em uma festa, deslocando desajeitadamente os ombros tentando não se destacar na multidão. É a primeira vez que vejo um arranha-céu tímido." É claro, isso não impediu o Council on Tall Buildings and Urban Habitat (CTBUH) de celebrá-lo recentemente como o edifício mais alto nos Estados Unidos da América. Uhull!

Mas quem se importa? Nova York tem muitas outras coisas acontecendo urbanisticamente e arquitetonicamente, que fazem a altura ser menos importante do que costumava ser, se não totalmente inútil. Intervenções de infraestrutura do tipo mais horizontal, como o High Line por exemplo, parecem mais significativas. Diante da complexidade urbana real e desenvolvimento desigual, buscar altura é simplista, enquanto os problemas reais permanecem pelas ruas, sem relação com direitos aéreos, vistas, ângulos de acesso a luz solar, e horizontes bloqueados. 

E ainda assim, muitas cidades do mundo continuam a privilegiar torres altas como ícones de poder econômico e político.

Documentário: “A Short History of the Highrise”

22:00 - 9 Outubro, 2013
Documentário: “A Short History of the Highrise”, Oscar Niemeyer - Brasília, 1958. Image © Marcel Gautherot/IMS
Oscar Niemeyer - Brasília, 1958. Image © Marcel Gautherot/IMS

O New York Times publicou o filme "A Short History of the Highrise" (Uma Breve História da Verticalização) - um documentário interativo que explora 2500 anos de história mundial ligada à verticalização das habitações e algumas questões quanto a igualdade social em um mundo cada vez mais urbano. Organizado em quatro pequenos filmes - "Mud" (Barro), "Concrete" (Concreto), "Glass" (Vidro) e "Home" (Casa) - os espectadores podem se aprofundar em cada tema e explorar documentos extras enquanto assistem ao filme. Confira o documentário aqui.

Por dentro da favela mais alta do mundo: Torre de David, Venezuela

20:00 - 3 Outubro, 2013

O que foi outrora o símbolo de um futuro financeiro brilhante para Caracas é agora a favela mais alta do mundo: a Torre de David, na Venezuela. O arranha-céu inacabado de 45 pavimentos foi invadido no início dos anos 90, após ter sua construção embargada devido à uma crise financeira e ao inesperado falecimento de David Brillembourg, que compartilhava seu nome com o edifício.

Com o governo municipal há algum tempo lidando com a falta de habitações, muitos moradores já passaram a maior parte de suas vidas na Torre. E apesar da reputação do local como reduto de criminalidade, os moradores se organizaram para construir uma comunidade independente, abastecida (ainda que precariamente) pela rede elétrica e sanitária.

Novas imagens do projeto de Mirvish+Gehry para Toronto

12:00 - 9 Julho, 2013
Novas imagens do projeto de Mirvish+Gehry para Toronto , Courtesy of Gehry Partners LLP
Courtesy of Gehry Partners LLP

David Mirvish, fundador da Mirvish Productions, e Frank Gehry, nascido em Toronto, divulgaram novas imagens de seu gigantesco projeto de uso misto que promete transformar o distrito central de artes e entretenimento de Toronto. A proposta da dupla incluirá três torres residenciais cujo embasamento de seis pavimentos é inspirado no passado industrial da área e envolvido por uma pele escultórica em forma de nuvem.

As torres, de 80 pavimentos cada, abrigarão apartamentos, um novo campus da Universidade OCADU e um espaço de galerias que acolherá a coleção de arte moderna de Mirvish.

Mais imagens na sequência...

Japão desenvolve “demolição invisível” para antigos arranha-céus

18:22 - 8 Julho, 2013
Japão desenvolve “demolição invisível” para antigos arranha-céus, Cortesia de catracalivre.com.br
Cortesia de catracalivre.com.br

Quando a vida útil de um edifício chega ao seu fim, é comum que sua estrutura seja demolida e o terreno aproveitado para outro empreendimento. Em geral, o processo de demolição dos grandes edifícios causa muito transtorno, barulho, poeira e uma quantidade enorme de entulho. Além, é claro, do risco que os explosivos apresentam às construções vizinhas.

Entretanto, no Japão, sobretudo em Tóquio, devido à altíssima densidade construída, o método de implosão não pode ser aplicado, o que levou os japoneses a desenvolverem um método alternativo de desmontagem de edifícios: a “demolição invisível”.

Nova tecnologia promete dobrar a altura de arranha-céus

20:00 - 3 Julho, 2013
Nova tecnologia promete dobrar a altura de arranha-céus, Skyline de Dubai; Flickr User rickz; via Creative Commons
Skyline de Dubai; Flickr User rickz; via Creative Commons

A fabricante de elevadores finlandesa KONE revelou uma nova tecnologia de içamento que permitirá aos elevadores se deslocar o dobro da distância máxima atual. Este novo desenvolvimento significa, por exemplo, que o Burj Khalifa não continuará sendo o edifício mais alto do mundo por muito mais tempo. O Burj, que se eleva a uma altura de 828 metros, apresenta uma distância máxima percorrida por seus elevadores de 504 metros. A KONE promete dobrar este número.

Saiba mais na sequência.

Através das Lentes: Por Que Arranha-Céus Precisam de um Herói?

14:00 - 7 Junho, 2013
Através das Lentes: Por Que Arranha-Céus Precisam de um Herói?, Mission Impossible. © Paramount Pictures, Skydance Productions & Bad Robot
Mission Impossible. © Paramount Pictures, Skydance Productions & Bad Robot

Desde o surgimento do edifício moderno de vários pavimentos, no fim do século 19, roteiristas e diretores de arte incorporam os arranha-céus tanto como pano de fundo quanto como suporte para dramas nos longas-metragens. É fácil entender o fascínio. A precariedade de um arranha-céu - sua altura, sua dependência de sistemas de emergência e de engenharia e sua segurança controlada - proporciona oportunidades abundantes para ação e desastres. E tudo com uma bela vista.

Mesmo Hollywood adorando edifícios altos, não tem os tratado bem. As tramas geralmente têm em um ceticismo geral sobre a engenharia que os tornam possíveis e muitas vezes carregam alguma mensagem moral subjacente sobre os perigos da tecnologia e do avanço.

PowerWINDows:Uma Proposta para Turbinas de Vento compatíveis em Arranha-Céus

01:00 - 13 Maio, 2013
PowerWINDows:Uma Proposta para Turbinas de Vento compatíveis em Arranha-Céus, Cortesia de University of Wollongong
Cortesia de University of Wollongong

Estaria vindo por aí uma nova revolução em turbinas de vento? Uma equipe da universidade australiana de Wollongong (UOW), em colaboração com a empresa líder de engenharia naval Birdon Pty Ltd., desenvolveu a PoweWINDows - um novo tipo de conversor que vento em energia que tem potencial de ser visto em edifícios em breve.

Leia mais sobre esta nova ideia a seguir...

Melbourne se prepara para construir o mais alto arranha-céu do Hemisfério Sul

20:00 - 14 Abril, 2013
© Fender Katsalidis Architects, John Gollings
© Fender Katsalidis Architects, John Gollings

Melbourne, Austrália, está prestes a atingir novas alturas com o Asutralia 108, uma torre de hotel e apartamentos projetada por Fender Katsalidis. Semana passada o governo de Victoria concedeu ao Australia 108 a autorização para ser construído na área de Southbank. Quando concluída, a torre terá 108 pavimentos e 388 metros de altura, que farão dela o mais alto edifício no hemisfério sul do planeta.

Mais sobre o projeto do Australia 108 após o intervalo...

Podemos parar de desenhar árvores no topo dos arranha-céus?

14:00 - 10 Abril, 2013
Peruri 88 / MVDRV. Rendering © RSI-Studio
Peruri 88 / MVDRV. Rendering © RSI-Studio

Tim De Chant é o editor sênior digital de NOVA e editor na NOVA Next. Ele também escreve para Per Square Mile, o blog onde este artigo foi originalmente publicado.

Apenas alguns anos atrás, se alguém quisesse fazer algo mais na moda, colocaria sobre isso um pássaro. Aves estavam em toda parte. Não tenho certeza se o Twitter foi o que começou todo a agitação, mas isso ficou tão cansativo que Portlandia realizou uma sátira chamada: "Ponha um pássaro." ("Que triste sacola de lona. Já sei! Vou colocar um pássaro nela", por exemplo)

Acontece que os arquitetos têm feito a mesma coisa, mas com árvores. Quer fazer um arranha-céu parecer moderno e sustentável? Coloque uma árvore sobre ele. Ou melhor, dezenas. Muitas propostas de arranha-céus de alto conceito são enfeitadas com árvores. No último andar, em terraços, nas brechas e fendas, ou em varandas absurdamente grandes. Basicamente em qualquer lugar horizontal e longe do chão. Apesar de os arquitetos estarem desenhando dezenas, ainda não vi algum destes arranha-céus "verdes" na vida real. (Há uma notável exceção - BioMilano, ainda não concluído) Porém - e um grande porém - se algum destes edifícios for construído, é provável que as árvores estarão sem folhas antes mesmo que o investidor possa dizer que quer o "retorno sobre o investimento". Isso é bastante fora da realidade. Eu entendo porque arquitetos gostam desenhá-las em seus edifícios. Realmente, eu entendo. Mas será que podemos parar?

Descubra por que não é uma boa ideia colocar árvores em arranha-céus, após o intervalo...

Construção do Edifício mais alto da China está parado devido ao Escândalo do Concreto

13:00 - 4 Abril, 2013
© KPF
© KPF

Previsto para ser a mais alta torre na China e o segundo edifício mais alto no mundo em 2015, o Centro Financeiro Internacional de Ping’an, projeto de Kohn Pedersen Fox que possui 660 metros de altura tomou uma inesperada reviravolta. Seguindo uma inspeção a nível indústrial realizada na semana passada, funcionários do governo de Shenzhen descobriram que uma areia marinha de baixa qualidade tem sido usada pelos empreiteiros para criar concreto também de baixa qualidade para criar o super arranha-céu da KPF e pelo menos 15 outros edifícios em construção.

Em progresso: City Life Milão/ Zaha Hadid Architects

11:00 - 25 Março, 2013
Em progresso: City Life Milão/ Zaha Hadid Architects, © Zaha Hadid Architects, Courtesy of CityLife
© Zaha Hadid Architects, Courtesy of CityLife

City Life Milão é um ambicioso empreendimento comercial e residencial na antiga região das feiras de Milão: a Fiera Milano. Mais da metade da área do projeto será coberta com 168 mil metros quadrados de área verde dedicada a pedestres e ciclistas. Esta exuberante área de pedestres terá em seu centro uma grande praça - 'piazza delle tre torri' - conformada por três torres e cercada por um conjunto de residências, todas projetadas por arquitetos de renome internacional. Arata Isozaki e Andrea Maffei contribuíram com a Torre Isozake, que será o mais alto edifício da Itália, com 202 metros, construído ao lado da curvada Torre Libeskind, com 150 metros de altura. Completando a tríade, Zaha Hadid desenhou uma torre de vidro torcida, que terá 170 metros de altura.

Mais sobre a Torre Hadid e seus entornos na seqüência...

Dois vídeos que caturam a essência do Sliced Porosity Block do Steven Holl Architects

20:00 - 26 Fevereiro, 2013