Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Arranha Céus

Arranha Céus: O mais recente de arquitetura e notícia

2016 é um ano recorde para edifícios altos

Em seu relatório anual, o Tall Building Year in Review de 2016, o Council on Tall Buildings and Urban Habitat (CTBUH) anunciou que o ano de 2016 teve a conclusão de 128 edifícios de 200 metros ou mais. Esse número supera o recorde anterior de 114 obras completas estabelecido em 2015. Dezoito desses edifícios tornaram-se os mais altos em suas cidades, país ou região, e dez ganharam a designação de super altos, com mais de 300 metros de altura.

Guangzhou CTF Finance Centre. Cortesia de K11 New World Development Ningbo Bank of China. Cortesia de Ningbo Eastern New City Development Warsaw Spire. Cortesia de UNK Ghelamco Shenzhen CFC Changfu. Image © Cheng Chen + 13

As curiosas histórias por trás de 10 icônicos arranha-céus

Enquanto houver edifícios, a humanidade continuará a procura por construir o seu caminho para o céu. De pirâmides de pedra aos arranha-céus de aço, sucessivas gerações de arquitetos criaram maneiras cada vez mais inovadoras de aumentar os limites verticais da arquitetura. Seja em pedra ou aço, cada tentativa de atingir alturas sem precedentes representou um vasto empreendimento em termos de materiais e trabalho - e quanto mais complexo o projeto, maior a chance das coisas darem errado.

Ryugyong Hotel. Image © José Tomás Franco Robot Building. Image © José Tomás Franco CCTV Headquarters. Image © José Tomás Franco Cayan Tower. Image © José Tomás Franco + 21

Nova "cola" molecular pode contribuir para edificações em madeira ainda mais altas

O segredo para uma engenharia da madeira resistente o bastante para suportar arranha-céus pode estar na interação entre moléculas dez mil vezes menores que um fio de cabelo.

Um novo estudo realizado por pesquisadores das universidades de Warwick e Cambridge resolveu um mistério de longa data de como os principais polímeros das células vegetais se conectam para formar materiais resistentes como madeira e a palha. Recriando esta "cola" em laboratório, os engenheiros podem produzir novos materiais à base de madeira que ultrapassam suas capacidades estruturais atuais.

Londres aprova a construção do arranha-céu de 73 pavimentos de Eric Parry Architects

O projeto 1 Undershaft de Eric Parry Architects recebeu aprovação do Comitê de Planejamento de Londres, que permitirá que a torre de 73 pavimentos se torne o edifício mais alto do Distrito Financeiro da capital britânica e o segundo edifício mais alto do Reino Unido, atrás apenas do The Shard. .

© DBOX para Eric Parry Architects © DBOX para Eric Parry Architects © DBOX para Eric Parry Architects © DBOX para Eric Parry Architects + 5

A torre de madeira mais alta: Proposta conceitual de Perkins + Will para River Beech Tower

Cortesia de River Beech Tower
Cortesia de River Beech Tower

Como parte de um masterplan ao longo do Rio Chicago, a Torre Beech River é um arranha-céu residencial que, se construído, será a mais alta construção de madeira existente. A equipe por trás do projeto consiste do escritório de arquitetura Perkins + Will, engenheiros da Thornton Tomasetti e a Universidade de Cambridge. Atualmente um empreendimento conceitual acadêmico e profissional, a equipe pontua que ele poderia ser realizado potencialmente nas fases finais de implantação do masterplan.

Nova Iorque 2030: uma hipótese de futuro para Manhattan

Cortesia de VISUALHOUSE
Cortesia de VISUALHOUSE

Em quatorze anos, o skyline de Nova Iorque será muito diferente de hoje. Com o surgimento de dezenas de novos projetos na cidade, o estúdio Visualhouse - especializado em imagens fotorrealistas - divulgou uma imagem de Nova Iorque em 2030. "Esta imagem mostra quem é quem na arquitetura moderna - com edifícios projetados por Jean Nouvel, Rafael Vinoly, Bjarke Ingels Group, SOM, Foster + Partners e Kohn Pedersen Fox, para citar apenas alguns ", disse Rob Herrick, CEO e fundador da Visualhouse. "Como essas obras-primas modernas se encaixam no horizonte, este será o legado para os nova-iorquinos em 2030 e além."

56 Leonard Street de Herzog & de Meuron pelas lentes de Paul Clemence

O fotógrafo Paul Clemence do ARCHI-PHOTO compartilhou conosco imagens do projeto 56 Leonard Street de Herzog & de Meuron. Perto de ser concluída, a torre de 60 pavimentos será o edifício mais alto de Tribeca quando for inaugurada. A ideia por trás do projeto consiste em romper com a monotonia dos típicos edifícios em altura através de uma articulação variada proporcionada pelo empilhamento de residências unifamiliares. Pavimentos desalinhados criam cantos, balanços e balcões distintos que oferecem aos apartamentos um caráter singular. Pensado de dentro para fora, os cômodos pixelados são arranjados de modo que a base da torre responda às condições da rua e seu volume vertical se funda com o céu.

Veja a série completa de fotos, a seguir.

© Paul Clemence © Paul Clemence © Paul Clemence © Paul Clemence + 46

BIG vence o 2016 International Highrise Award com o VIA 57 West

O VIA 57 West, do BIG, foi escolhido unanimemente como o vencedor do 2016 International Highrise Award (IHA) como o arranha-céu mais inovador do mundo.

Como um dos prêmios arquitetônicos mais importantes do mundo para edifícios altos, ele é apresentado pelo Deutsches Architekturmuseum (DAM) a cada dois anos e entregue ao projeto que melhor exemplifica os critérios de projetos orientados para o futuro, funcionalidade, tecnologia de construção inovadora, integração em esquemas de desenvolvimento urbano, sustentabilidade e eficiência de custo.

© Kirsten Bucher © Kirsten Bucher © Kirsten Bucher © Kirsten Bucher + 12

Espetáculo de luzes marca a abertura do maior edifício da Tailândia, por Büro Ole Scheeren

O edifício mais alto da Tailândia, o MahaNakhon, foi aberto ao público em um evento que contou com espetáculo de luzes que destacou a forma "pixelada" da construção de 314 metros de altura. Projetado pelo Büro Ole Scheeren, o arranha-céu de 77 pavimentos contém um hotel, espaços comerciais, bares, restaurantes e um mirante, além de 200 unidades residenciais com vista para o skyline de Bangkok. A aparência distinta do edifício é resultado de uma escavação pixelada espiral ascendente, que cria "uma arquitetura que envolve e protege seus residentes ao passo que revela sua vida interna."

Veja, a seguir, algumas imagens do edifício concluído.

Os maiores arranha-céus torcidos do mundo

A última década viu nascer uma mudança no projeto de arranha-céus: edifícios que se rotacionam em torno de um eixo central ao passo que se erguem, seja por questões estruturais ou puramente estéticas. Inspirados por esta recente tendências, o Council on Tall Buildings and Urban Habitat (CTBUH) publicou um novo gráfico intitulado "Edifícios em altura em números: Arranha-céus torcidos” para analisar a "recente proliferação de torres torcidas que criou uma nova geração de edifícios icônicos em todo o mundo."

O infográfico compara os edifícios por altura, largura e graus de rotação. Veja, a seguir, o gráfico completo:

Tobogã de vidro é inaugurado em arranha-céu de Los Angeles

Encontrados em lugares tão diversos como o Zhangjiajie Grand Canyon, a Willis Tower e o Tokyo Skytree, mirantes com piso de vidro se tornaram uma maravilha da engenharia para aqueles que buscam um pouco de adrenalina. Recentemente, a U.S. Bank Tower, no centro de Los Angeles, elevou a aposta em estruturas de vidro ao construir um escorregador transparente na fachada de seu edifício sede. Indo de uma janela no 70° andar a um terraço no 69°, a nova atração abriu ao público no final de junho, oferecendo aos mais ávidos por adrenalina uma vista panorâmica única da cidade.

Vídeo: A construção da passarela elevada entre os American Copper Buildings

O novo vídeo produzido pelo JDS Development Group, Building Knowhow: Skybridge, começa com uma anedota de um dia em que os bombeiros chegaram ao local. "Recebemos uma chamada: os edifícios estão desmoronando!", comentou o chefe dos bombeiros, Michael Jones, ao diretor do JDS. Jones respondeu com uma gargalhada: "Eles são assim mesmo!"

Localizados no East Side de Manhattan, os American Copper Buildings, projetados pelo escritório novaiorquino SHoP Architects, testa os limites da engenharia. Em um vídeo informativo, o JDS Development Group registra a construção de uma passarela entre as torres, destacando a abordagem detalhada e organizada do escritório. Localizada cerca de 90 metros acima do solo, esta é a primeira grande passarela elevada construída em Nova Iorque nos últimos 80 anos.

Onde a tecnologia dos elevadores no levará com suas recentes inovações?

Muitos avanços tecnológicos mudaram o modo como projetamos nos últimos 150 anos, mas talvez nenhum tenha causado um impacto maior que a invenção do elevador. Antes da invenção da trava de segurança para elevadores de Elisha Otis em 1853, os edifícios raramente superavam  os 7 pavimentos. Desde então, as construções vêm alcançando alturas cada vez maiores. Em 2009, o edifício mais alto do mundo, o Burj Khalifa, atingiu a marca de 163 pavimentos (e para acessá-los: elevadores Otis). Em um século e meio que separam esses dois marcos históricos, a tecnologia dos elevadores mudou relativamente pouco --  até agora. 

Edifícios cobertos com árvores são realmente tão ecológicos como pretendem ser?

Estariam os edifícios cobertos de vegetação realmente alinhados com os princípios de ecologia e sustentabilidade, ou são apenas marketing? Esta é a questão levantada por Kurt Kohlstedt em seu ensaio Renderings vs. Reality: The Improbable Rise of Tree-Covered Skyscrapers, publicado pela 99% Invisible. O autor aponta que projetos que fazem uso de vegetação estão em alta por uma infinidade de razões - a aparência de sustentabilidade, melhor qualidade do ar e das vistas, atrair mais investimentos etc. - mas também nota que a maior parte desses conceitos nunca sairão do papel ou da virtualidade. Para tantos motivos pelos quais estes edifícios se tornaram populares, há tantos argumentos que sugerem que eles não podem ser construídos, incluindo obstáculos técnicos de construção, sistema de irrigação muito complexos e a própria adaptação das árvores ao ambiente.

ODA divulga projeto de arranha-céu em Manhattan

Inspirado na recente tendência de arranha-céus super esbeltos que domina o mercado residencial de luxo de Manhattan, o escritório ODA New York propôs um projeto para a 303 East 44th Street descrito por eles mesmos como "uma nova realidade urbana" para a cidade. Ao tomar o modelo de uma torre de dimensões modestas e esticá-la verticalmente, o escritório inseriu jardins escultóricos nos vazios criados entre os níveis, criando uma torre que combina as vantagens de viver na cidade com os benefícios espaciais da casa no subúrbio.

© Moso Studio © Moso Studio © Moso Studio © Moso Studio + 17

eVolo divulga os vencedores da "2016 Skyscraper Competition "

O concurso, agora em seu 11º ano, da eVolo Magazine divulgou os vencedores do 2016 Skyscraper Competition: três prêmios principais e 21 menções honrosas entre 489 inscrições. A premiação explora anualmente a vanguarda de construções de arranha-céus "em meio a novidades de tecnologia, materiais, programas, estética e organização espacial". Dentre os vencedores deste ano, há um projeto que propõe uma megaestrutura aterrada pelo perímetro do Central Parque, um arranha-céu que atua como um centro para drones em futuras aplicações comerciais e uma torre que aproveita o clima da Islândia como local ideal para servidores de dados.

PLP divulga planos de construir o edifício mais alto do Delta do Rio das Pérolas

A companhia britânica PLP revelou seu projeto para um grande complexo no coração do Delta do Rio Pérola, na China. O Plano Diretor abrange quatro edifícios: a Plataforma de Artes Contemporâneas, a Torre Lizhi Park, o Saguão e o Nexus - um edifício de escritórios e torre de hotel com 600 metros de altura, que será o ponto central do plano diretor e o arranha-céu mais alto da região.

Render de Visão Exterior. Imagem © Luxigon Render de Visão Exterior Noturna. Imagem © Luxigon Render de Visão Área. Cortesia de PLP Architecture Render de Visão Exterior. Cortesia de PLP Architecture + 20

Comunidade exige a revisão do projeto de Renzo Piano para novo arranha-céu em Londres

Manifestações exigiram que a incorporadora Sellar Property Group reveja os planos para o arranha-céu de Renzo Piano na região de Paddington, em Londres. O edifício tem sido criticado por moradores locais e pela instituição Historic England por "bloquear vistas" da capital e por estar "fora de contexto".

"O skyline de Londres é único, icônico e amado. Ele deve ser gerido sensivelmente e com o planejamento adequado", comentou ao The Guardian o diretor executivo da Historic England, Duncan Wilson. "Edifícios em altura podem ser emocionantes e úteis, mas se forem mal projetados, ou estiverem no lugar errado, podem prejudicar nossas cidades. Acreditamos que a revisão dos planos para Paddington Place levará em consideração seu caráter único."