Stijn Bollaert

NAVEGUE POR TODOS OS PROJETOS DESTE FOTÓGRAFO

O que é preciso saber antes de começar um projeto de reforma

À medida que a tecnologia avança, arquitetura e construção também avançam. Arquitetos, designers e projetistas ao redor do mundo agora têm infinitas ferramentas e recursos para projetar e construir as cidades de hoje e do futuro. Por mais promissor que isso possa parecer, as novas construções também estão consumindo os limitados recursos do nosso planeta mais rapidamente do que podemos reabastecê-los.

Essa situação deixa os arquitetos com uma responsabilidade importante: a reabilitação e reutilização do ambiente construído existente. Isto significa utilizar o desenho e o pensamento criativo para preservar e incorporar edifícios antigos ou históricos existentes atualmente no presente e no futuro das nossas cidades, adaptando-os através de métodos criativos e sensitivos.

Casa Bagattenstraat / NU architectuuratelier

© Stijn Bollaert© Stijn Bollaert© Stijn Bollaert© Stijn Bollaert+ 27

Gante, Bélgica
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  354
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2019

Estações da Linha Bravo 2 / Van Belle Medina

Luchtbal. Imagem © Stijn BollaertTjalkstraat. Imagem  © Stijn BollaertTjalkstraat. Imagem  © Stijn BollaertStraatsburgbrug. Imagem  © Maxime Delvaux+ 55

  • Arquitetos: Van Belle Medina
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  2000
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2020
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Petersen Tegl

Reciclagem de bitucas de cigarro como matéria prima para tijolos leves

Alunos da Escola de Engenharia da Universidade RMIT publicaram recentemente um estudo experimentando uma nova forma de gerenciamento de resíduos e reciclagem. Como eles observaram em sua pesquisa, bitucas de cigarro são o item de lixo individual mais comumente descartado no mundo, com cerca de 5,7 trilhões tendo sido consumidos em todo o mundo em 2016. No entanto, os materiais das pontas de cigarro - particularmente seus filtros de acetato de celulose - podem ser extremamente prejudiciais ao meio ambiente devido à baixa biodegradabilidade. O estudo RMIT baseia-se em uma pesquisa anterior de Mohajerani et. al (2016) que experimentou adicionar pontas de cigarro descartadas a tijolos de argila para uso arquitetônico. Em sua pesquisa, os alunos da RMIT descobriram que tal medida reduziria o consumo de energia do processo de produção de tijolos e diminuiria a condutividade térmica dos mesmos, mas que outras questões, incluindo contaminação bacteriana, teriam que ser abordadas antes de uma implementação bem-sucedida. A seguir, exploramos essa pesquisa com mais detalhes, investigando sua relevância para a indústria da arquitetura e imaginando possíveis futuros de aplicação.

Casa gjG / BLAF Architecten

© Stijn Bollaert© Stijn Bollaert© Stijn Bollaert© Stijn Bollaert+ 23

Ghent, Bélgica
  • Arquitetos: BLAF Architecten
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  190
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2015

Residência Atlas / MONADNOCK

© Stijn Bollaert            © Stijn Bollaert            © Stijn Bollaert            © Stijn Bollaert            + 20

Eindhoven, Países Baixos
  • Arquitetos: MONADNOCK
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  210
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2016
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Daas baksteen, Kawneer, Wienerberger

Biblioteca Municipal Het Predikheren / Korteknie Stuhlmacher Architecten + Callebaut Architecten + Bureau Bouwtechniek

© Luuk Kramer© Luuk Kramer© Karin Borghout© Karin Borghout+ 25

  • Arquitetos: Bureau Bouwtechniek , Callebaut Architecten, Korteknie Stuhlmacher Architecten
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  5840
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2019
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Abet laminati, LIGNOTREND, Nemetschek, Okholm Lighting, Steenhandel Gelsing

A Madeira Laminada Cruzada (CLT) é o concreto do futuro?

O concreto, um material de construção por excelência, nos ofereceu durante décadas a possibilidade de moldar nossas cidades de maneira rápida e eficaz, expandindo-se rapidamente em periferias urbanas ou atingindo alturas antes impensáveis pela humanidade. Atualmente, novas tecnologias de madeira estão começando a oferecer oportunidades semelhantes - e até mesmo superiores - às oferecidas pelo concreto, incluindo a madeira laminada cruzada (também chamada de Cross Laminated Timber ou CLT).

A fim de aprofundar em suas propriedades e benefícios, conversamos com Jorge Calderón, Designer Industrial da Pontifícia Universidade Católica de Valparaíso e Gerente da CRULAMM, que revela algumas das oportunidades promissoras que a CLT poderia oferecer à arquitetura no futuro.

"KITERASU" Edifício modelo em CLT na estação Kuse / ofa. Image © Ken'ichi SuzukiMINIMOD Catuçaba / MAPA. Image © Leonardo FinottiCapilla Sacromonte Landscape Hotel / MAPA Arquitetos. Image © Leonardo FinottiCortesía de Jorge Calderón+ 21

Esquadrias minimalistas com perfis de aço de alta rigidez: máxima transparência e desenho sutil

Após séculos utilizando a madeira para o desenvolvimento de carpintaria de janelas e portas, o racionalismo do século XX começou a adotar um novo material para esses fins: o aço. Impulsionado pela produção industrial e promovido por arquitetos como Adolf Loos, Mies van der Rohe e Le Corbusier, o aço evoluiu para gerar estruturas cada vez mais finas e resistentes. No entanto, materiais eficientes e de baixo custo, como alumínio e PVC, começaram gradualmente a substituir seu uso maciço, aumentando a dimensão dos marcos e removendo a "limpeza" de uma arquitetura que começou a integrar grandes painéis de vidro em suas fachadas. .

Atualmente, as novas tecnologias aprimoram seus processos de produção, desenvolvendo perfis mínimos de alta rigidez e precisão, que aproveitam ao máximo a transparência do vidro e oferecem novos recursos de conforto e segurança. Conversamos com os especialistas da empresa Jansen para aprofundar sua aplicação na arquitetura contemporânea.

LocHal Library / CIVIC architects + Braaksma & Roos architectenbureau + Inside Outside + Mecanoo. Image © Stijn BollaertMuseo Bauhaus Dessau / Addenda Architects. Image © Thomas MeyerCortesía de JansenFuturium Berlin / Richter Musikowski. Image © Schnepp Renou+ 30

O céu é o limite: 26 projetos que utilizam a cobertura como espaço habitável

Cortesía de JAJA Architects© Studio Bauhaus, Ryuji Inoue© John Siu© Yoshiharu Matsumura+ 28

Quando falamos em cobertura ou quinta fachada, é comum pensarmos em lajes planas. Na realidade, existe uma ampla gama de usos e possibilidades que se materializam de maneiras diferentes, dependendo das necessidades técnicas específicas de cada cobertura, bem como das possibilidades espaciais e climáticas de cada local. Coberturas também podem ser um espaço propício para o desenvolvimento de estruturas, extensões, áreas de lazer, espaços interativos e até a integração paisagística das obras.

Anunciados os projetos finalistas para o EU Mies Award 2019

A Comissão Européia e a Fundação Mies van der Rohe anunciaram as 40 obras pré-selecionadas que concorrerão ao Prêmio da União Européia de Arquitetura Contemporânea - Prêmio Mies van der Rohe de 2019. O Prêmio, do qual o ArchDaily é parceiro de mídia, partiu de 383 trabalhos nomeados pelo júri para uma seleção de 40 finalistas, celebrando as tendências e oportunidades da reutilização adaptativa, habitação e cultura em toda a Europa.

Pós pós-modernismo: 10 projetos que reinterpretam o movimento na era digital

Não é nenhum segredo que o pós-modernismo, ao longo dos últimos anos, tem passado por uma espécie de renascimento. Sua exuberância e entusiasmo, duramente criticados por muitos arquitetos, talvez sejam um bálsamo nestes momentos tão difíceis pelos quais o mundo está passando. Ou ainda, para parte de nossos colegas, o movimento talvez sirva apenas para criar edifícios fotogênicos que são posteriormente publicados no Instagram. 

Dito isto, vale ressaltar que não estamos tratando aqui exatamente daquele pós-modernismo que surgiu durante os anos 60. O pós-modernismo que aqui nos referimos, é aquele que além de preocupar-se com as preexistências e com o contexto, também procura se reinventar através das novas tecnologias. Instalações e outras formas efêmeras de arquitetura também podem possibilitar uma nova perspectiva sobre a nossa prática profissional, e quando documentadas e catalogadas, estas obras ficam a disposição de todos para futuras pesquisas e consultas. Talvez estejamos lidando não mais com algo reacionário, contra a hegemonia do modernismo; a bandeira que os principais pós-modernistas de outrora levantavam e defendiam. O pós-modernismo de hoje pode ser algo ao mesmo tempo alegre e reservado, vernacular e altamente tecnológico.

Landmark Nieuw Bergen / Monadnock . Image © Stijn BollaertTemple of Agape / Morag Myerscough and Luke Morgan. Image © Gareth GardnerA House for Essex / FAT and Grayson Perry. Image © FAT© Rasmus Hjortshoj+ 70

Crematório Statie Stuifduin / a2o-architecten

© Stijn Bollaert
© Stijn Bollaert

© Stijn Bollaert© Stijn Bollaert© Stijn Bollaert© Stijn Bollaert+ 18

  • Arquitetos: a2o-architecten
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2018
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Ceyssens, FDS, Korlam, Sapa Building System International NV, VELUX Commercial

Arquitetura escolar: 70 exemplos em plantas e cortes

Escolas e instituições de ensino são estruturas complexas de projetar. Elas devem oferecer uma diversidade de espaços para aprendizado, mas também considerar atividades esportivas e recreacionais. Além de possuírem, geralmente, grandes dimensões, o maior desafio no projeto de edifícios escolares é conceber espaços que fomentem apropriações positivas pelas crianças. A seguir, compilamos 70 projetos escolares acompanhados de seus desenhos que podem servir de inspiração para seus próximos projetos educacionais.

Pavilhão Piushaven Harbour / Civic Architects

© Stijn Bollaert© Stijn Bollaert© Stijn Bollaert© Stijn Bollaert+ 24

  • Arquitetos: Civic Architects
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  260
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2017
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: AkzoNobel, Alcoa, Pine Waxed wood

40 Projetos selecionados para o Prêmio Europeu de Arquitetura Contemporânea 2017 - Mies van der Rohe Award

A Comissão Europeia e a Mies van der Rohe Foundation anunciaram as 40 obras selecionadas que concorrerão ao Prêmio Europeu de Arquitetura Contemporânea 2017 - Mies Van Der Rohe Award. O júri escolheu a partir dos 356 projetos indicados, e a lista destaca as oportunidades e as tendências no território europeu atual: cidades, habitação, patrimônio e memória. Os cinco finalistas serão anunciados em meados de fevereiro e o vencedor e o arquiteto emergente em meados de maio.

Um terço das obras aborda o desafio da arquitetura contemporânea em relação ao patrimônio construído e um terço dos trabalhos os desafios contemporâneos da habitação. A gestão da paisagem urbana histórica será uma das prioridades destacadas pelo "Ano Europeu do Patrimônio Cultural" em 2018.

"Eu gostaria que os projetos selecionados demonstrassem interesse em criar lugares, explorar convenções e tipologias conhecidas, celebrar os prazeres do uso cotidiano por uma consideração de detalhes e uma resistência não expressa à atual tendência global a uma arquitetura auto-referencial, que desmente o contexto e o ato de habitação ". - Stephen Bates, Presidente do Júri.

Veja a lista a seguir.