Sandra Pereznieto

NAVEGUE POR TODOS OS PROJETOS DESTE FOTÓGRAFO

Casas de menos de 100 m²: 30 exemplos de plantas

O desafio de projetar uma casa com um orçamento apertado e metros quadrados escassos, juntamente com o dever essencial de responder corretamente aos requisitos específicos do usuário, pode ser uma das atribuições mais motivadoras e provocativas para um arquiteto. Como aproveitar o espaço da melhor maneira? Como evitar o desperdício de material? Como antecipar a possível expansão futura da habitação? Como desenvolver uma arquitetura simples e ao mesmo tempo entregar um alto valor a seus habitantes?

Mergulhamos em nossa biblioteca de obras para ajudá-lo neste processo, selecionando 30 casas que oferecem soluções arquitetônicas interessantes em 70, 80 e 90 metros quadrados.

Arquitetura e habitação coletiva: 50 projetos de apartamentos no México

Edificio Las Terrazas / Landa + Martínez Arquitectos. Image © Agustín Landa Ruiloba Edificio MO47 / ZD+A. Image © Jaime Navarro High Park / Rojkind Arquitectos. Image © Mariana García La Esmeralda / JSa. Image © LGM Studio - Luis Gallardo + 51

O clima talvez seja a mais elementar e fundamental das condicionantes em um projeto de arquitetura. As condições atmosféricas de um determinado lugar podem ser vistas como um desafio e até mesmo, um problema o qual solucionar. Muitas vezes, em climas extremos, é preciso utilizar materiais isolantes e soluções construtivas específicas para poder lidar com a hostilidade das condições ambientais. Entretanto, quando se trata de um país tropical como o México, com seu clima privilegiado, o clima passa a ser um ponto positivo, um aliado dos arquitetos, algo que os permite transitar entre a arquitetura e a paisagem de forma fluida e dinâmica, criando microclimas e espaços que se esparramam para fora ou incorporando a natureza em seu centro, jogando com os limites entre interior e exterior de uma forma criativa e fecunda para a própria arquitetura.

Casa Nakasone / Escobedo Soliz

© Ariadna Polo © Ariadna Polo © Ariadna Polo © Sandra Pereznieto + 26

Cidade do México, México
  • Arquitetos: Escobedo Soliz
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  100
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2020
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Arcelor Mittal, Cemento Cruz Azul

Banheiros de concreto aparente: Brutalismo no espaço íntimo

Por que usar concreto nos banheiros?

Béton brut ou "concreto bruto" é um material naturalmente poroso que oferece muitas vantagens para o projeto e a construção de um banheiro. Como material impermeável e resistente à pressão, é fácil de limpar, não se deteriora, previne o fungo do banheiro e possui uma baixa manutenção. Atraente e funcional, o concreto é versátil tanto para mobiliário no local como para o revestimento de parede, pisos e até pisos de áreas molhadas. Além disso, devido à sua massa térmica, o concreto é um excelente material para aquecimento de piso.

Estación habitable / Rozana Montiel | Estudio de Arquitectura

© Sandra Pereznieto © Sandra Pereznieto © Sandra Pereznieto © Sandra Pereznieto + 13

O uso da piscina em casas, hotéis e edifícios públicos mexicanos

Casa Kutz / CPDA Arquitectos. Image © Tamara Uribe Casa Volta / Ambrosi I Etchegaray. Image © Sergio López Casa Z / Zozaya Arquitectos. Image © Rafael Gamo Carpa Olivera / Colectivo Urbano. Image © Onnis Luque + 45

O clima é um dos principais fatores que definem a arquitetura específica de um lugar. Em se tratando de situações extremas, as condições climáticas podem se transformar em um grande desafio para a arquitetura, demandando a utilização de complexos sistemas de isolamento para viabilizar a habitabilidade dos edifícios em ambientes hostis. Entretanto, quando o clima favorece, ele se volta à favor dos arquitetos, permitindo o desenvolvimento de soluções arquitetônicas intimamente conectadas ao seu ecossistema específico, dissimulando os limites entre arquitetura e paisagem.

11 Conselhos para projetar espaços públicos vibrantes

A 3ª Semana Internacional “Placemaking”, realizada anualmente pela organização filantrópica Project for Public Spaces (PPS), teve lugar entre os dias 1º a 4 de outubro de 2019 na cidade de Chattanooga, Tennessee. Anteriormente organizado nas cidades de Amsterdã (2017) e Vancouver (2016), este inspirador e envolvente evento é um espaço de encontro e intercâmbio de ideias entre, pessoas, profissionais e organizações comprometidas com a construção de “lugares”, promovendo a difusão deste conceito tanto no contexto local da cidade sede quanto no nível internacional.

A PPS, responsável pela criação da Placemaking Week, é uma organização focada em promover a cultura, a construção e a manutenção de “lugares”, ou seja, espaços públicos capazes de construir comunidades mais inclusivas e sustentáveis. Em 1999, a Project for Public Spaces publicou o livro “How to turn a place around”, definindo as bases do movimento “placemaking” e fornecendo diretrizes e princípios a serem seguidos para se construir lugares capazes de gerar comunidades mais vibrantes e inclusivas.

Abaixo, compilamos uma lista com onze projetos construídos que ilustram os onze princípios enumerados no livro:

Green Cloud / ZHUBO-AAO. Image © Yang Xu Red Ribbon Park / Turenscape. Image Courtesy of Turenscape Green Cloud / ZHUBO-AAO. Image © John Siu Superkilen / Topotek 1 + BIG Architects + Superflex. Image © Torben Eskerod + 19

Do território ao habitante / Rozana Montiel | Estudio de Arquitectura

© Sandra Pereznieto © Sandra Pereznieto © Sandra Pereznieto © Sandra Pereznieto + 20

A reconstrução de um país: doze projetos sociais no México após o terremoto de 2017

Casa Karina / Francisco Pardo Arquitecto. Image © Jaime Navarro Casa Rosario / DOSA STUDIO + Rojkind Arquitectos. Image © Zaickz Moz Casa Rosales / Israel Espin. Image © Zaickz Moz Casa Mulato / taller paralelo. Image © Zaickz Moz + 15

A produção arquitetônica no México tem enfrentado uma série de desafios ao longo dos últimos anos, muito principalmente devido aos abalos sísmicos que castigaram o país em 2017. Ao menos novo estados foram gravemente afetados: do Distrito Federal até Guerrero, passando de Oaxaca à Veracruz, Puebla e Morelos. Entretanto, o desastroso terremoto sacudiu também boa parte da comunidade de arquitetos, que unindo forças, abraçaram o desafio de reconstruir o país. Este exercício fez com que muitos arquitetos se tornassem mais conscientes à respeito das condições urgentes das camadas mais vulneráveis da população.

Casa Cabo / Dellekamp Arquitectos

© Sandra Pereznieto © Sandra Pereznieto © Sandra Pereznieto © Sandra Pereznieto + 21

San José del Cabo, México
  • Arquitetos: Dellekamp Arquitectos
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  1000
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2018

Casa Teatro / Cadaval & Solà-Morales

© Sandra Pereznieto © Sandra Pereznieto © Sandra Pereznieto © Sandra Pereznieto + 25

Barcelona, Espanha

Lounge MA / Cadaval & Solà-Morales

© Sandra Pereznieto © Sandra Pereznieto © Sandra Pereznieto © Sandra Pereznieto + 32

Tepoztlán, México

Residência na Rocha / Cadaval & Solà-Morales

© Sandra Pereznieto © Sandra Pereznieto © Sandra Pereznieto © Sandra Pereznieto + 52

Valle de Bravo, México

Nissan Renault Finance Mexico / Dellekamp Arquitectos

© Sandra Pereznieto © Sandra Pereznieto © Sandra Pereznieto © Sandra Pereznieto + 16

Aguascalientes, México

Casa L / Dellekamp Arquitectos

© Sandra Pereznieto
© Sandra Pereznieto

© Sandra Pereznieto © Sandra Pereznieto © Sandra Pereznieto © Sandra Pereznieto + 18

Valle de Bravo, México
  • Arquitetos: Dellekamp Arquitectos
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  523
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2018

20 Obras selecionadas para o 3° Premio Latino-Americano de Arquitetura Rogelio Salmona

Após vários meses de pesquisa para identificar obras na América Latina e no Caribe, um comitê internacional de curadores de arquitetos selecionou 20 projetos para serem apresentados na terceira edição do Prêmio Latino-Americano de Arquitetura Rogelio Salmona.

O comitê de curadores foi integrado pelos arquitetos Silvia Arango (Região Andina), Felipe Leal (México, América Central e Caribe), Alexandre Ribeiro Gonçalves (Região Brasil) e Fernando Pérez Oyarzún (Região Cone Sul), que revisaram 53 trabalhos latino-americanos para compilar a seleção final. Em setembro, o prêmio será entregue ao trabalho vencedor em uma cerimônia a ser realizada em Bogotá, Colômbia.

Veja, a seguir, as 20 obras selecionadas nesta edição do prêmio:

Recuperação de espaços públicos em complexo habitacional mexicano ganha o Prêmio MCHAP 2018 para Arquitetura Emergente

Há alguns dias anunciamos os finalistas da categoria Emerging Architecture do Mies Crown Hall Americas Prize 2018. Entre eles, o projeto do Colégio María Montessori Mazatlán de EPArquitectos + Estudio Macías Peredo, Moradas Infantis de Rosenbaum + Aleph Zero, Embodied Computation LAB de David Benjamin e Construindo Comum-Unidade de Rozana Montiel + Alin Vázquez Wallach.

Finalmente, o júri formado por Ricky Burdett, José Castillo, Ron Henderson, Rodrigo Pérez de Arce e Claire Weisz declarou o último, o vencedor absoluto da categoria Arquitetura Emergente do MCHAP 2018.

Residência Albino Ortega / Rozana Montiel | Estudio de Arquitectura

© Sandra Pereznieto © Sandra Pereznieto © Sandra Pereznieto © Sandra Pereznieto + 16

Tepoztlán, México