Peter Bennetts

NAVEGUE POR TODOS OS PROJETOS DESTE FOTÓGRAFO

Residência Estudantil City Beach / iredale pedersen hook architects

© Peter Bennetts© Peter Bennetts© Peter Bennetts© Peter Bennetts+ 28

Côncavo e convexo: revestindo interiores com madeiras curvadas

Formas curvas sempre despertaram o fascínio de arquitetos por remeterem à beleza da natureza, sua fluidez, dinamismo e complexidade. Replicá-las, no entanto, não é tarefa fácil. Da sua representação bi ou tridimensional, até a concretização de formas orgânicas em materiais, isso representa uma enorme dificuldade, que exige perícia técnica e grandes conhecimentos para atingir bons resultados. Pensar em formas de criar processos industriais de produção de peças com formas orgânicas, a partir de materiais naturais, é ainda mais complicado.

Aliado a isso, trabalhar com um material natural como a madeira carrega suas peculiaridades. Fatores como a espécie da madeira, onde a árvore cresceu, quais climas ela enfrentou, quando ela foi cortada, de que forma foi fatiada ou seca, entre muitas outras questões, influenciam no resultado final. Mas é difícil comparar a beleza e o aconchego que as superfícies de madeira trazem aos ambientes. Se desenvolvidos os devidos processos, a madeira também pode receber uma curvatura e permanecer na forma desejada. Para tal, há algumas técnicas conhecidas.

Como o ensino da arquitetura pode se manter relevante em tempos de mudanças?

Este artigo foi publicado originalmente em Common Edge.

No artigo do Commom Edge desta semana, Duo Dickinson faz uma análise de seu percurso como arquiteto, das salas de aula à prática profissional e finalmente, a volta à escola de arquitetura como professor. Explorando a fundo as transformações na prática da arquitetura ao longo destes anos, Dickinson afirma que “ninguém mais acredita que as nossas escolas de arquitetura estejam hoje preparadas para educar os profissionais que a arquitetura precisará daqui a dez anos”. Nesta jornada, o autor explica como o ensino da arquitetura evoluiu ao longo do tempo, apontando possíveis direções para garantir que o ensino da arquitetura permanece relevante no futuro. 

Neuroarquitetura aplicada a projetos para crianças

Jardim de Infância SP / HIBINOSEKKEI + Youji no Shiro. Image © Studio Bauhaus, Ryuji InoueEscola Nía / Sulkin Askenazi. Image © Aldo C. GraciaPlayville Day Care / NITAPROW. Image © Ketsiree WongwanBiblioteca da Escola Umbrella / Savana Lazaretti Arquitetura e Design Sensorial. Image © Renata Salles+ 21

É inquestionável que os ambientes influenciam diretamente no comportamento e nas emoções de seus usuários. Estima-se que os seres humanos passem cerca de 90% de seu tempo de vida em espaços internos, por isso é tão importante que eles favoreçam positivamente nossa capacidade cerebral. Um termo específico para relacionar os estímulos que o cérebro recebe dependendo do ambiente em que está é neuroarquitetura. Diversos estudos têm sido publicados sobre esse tema, a maioria sobre o impacto em ambientes de trabalho. Este artigo pretende abordar sobre esse conceito, enfatizando sua importância no projeto de espaços destinados a crianças na primeira infância.

Um guia para arquiteturas "off-grid"

Quem mora em uma grande cidade dificilmente nunca sonhou em viver isolado, em uma casa entre as árvores ou numa praia deserta. Durante a pandemia e os intermináveis meses de quarentena, muitos tiveram essa mesma ideia. Por mais romântica e sedutora que ela possa parecer, isso vem acompanhado de alguns desafios práticos importantes. Raramente abriríamos mão de pequenos confortos que estamos tão acostumados, como abrir uma torneira ou carregar o celular. Se o local é, de fato, remoto, possivelmente não contará com abastecimento de energia elétrica, água potável, gás, rede de esgoto e coleta de resíduos sólidos. Mas há diversas possibilidades de uma vida com conforto e sem vizinhos. Quais são as principais soluções para permitir isso e como um projeto de arquitetura pode proporcionar uma vida off-the-grid?

Casa Bismarck / Andrew Burges Architects

© Peter Bennetts© Peter Bennetts© Peter Bennetts© Peter Bennetts+ 32

  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  175
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2019
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: &Tradition, Candana, City Scape Steel, Cranbrook Workshop, Design Daily, +7

Casa Dividida / FMD Architects

© Peter Bennetts© Peter Bennetts© Peter Bennetts© Peter Bennetts+ 20

Capela e Espaço de Meditação / Studio Nicholas Burns

© Peter Bennetts© Peter Bennetts© Peter Bennetts© Peter Bennetts+ 37

  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2020
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Erco

Casa Colour Shingle / Krisna Cheung Architects

© Peter Bennetts
© Peter Bennetts

© Peter Bennetts© Peter Bennetts© Peter Bennetts© Peter Bennetts+ 13

North Melbourne, Austrália

Aberturas circulares: dos barcos à arquitetura contemporânea

Há duas principais razões para que janelas de embarcações sejam redondas. São mais fáceis de selar e, principalmente, mais resistentes à pressão elevada que a água exerce sobre elas. Isso porque os cantos vivos são locais onde, naturalmente, as tensões se concentram, enfraquecendo a estrutura como um todo. Também é por esse motivo que as janelas dos aviões são pequenas e arredondadas; as elevadas pressões são distribuídas nas formas curvas, reduzindo a probabilidade de rachaduras ou quebras. 

Na arquitetura, as aberturas circulares são bastante antigas. Um Oculus, janela circular, é uma característica da arquitetura clássica desde o século XVI. Também conhecidas pela expressão francesa oeil de boeuf, (olho de boi), as aberturas circulares ou semi-circulares são formadas a partir da construção dos arcos de alvenaria, que permitem a criação de aberturas e a conformação de vãos apenas através do travamento das peças. Com o tempo e a incorporação de novas tecnologias e conhecimentos construtivos, criar aberturas retangulares em edificações comuns tornou-se mais simples, racional e barato do que redondas. Mas ainda assim, elas continuam figurando em uma infinidade de projetos. 

Tendências da arquitetura, construção e interiores para 2021: o popular, o relevante e o essencial

Ao rever os projetos de arquitetura que publicamos como parte de nossa seleção anual de 2020, pudemos distinguir muitos elementos e soluções recorrentes em termos de materiais, programas e funções.

Uma vez que a indústria da arquitetura se move um pouco mais devagar do que outras, descobrimos que muitos elementos e soluções de design dos últimos anos voltaram com força em 2020. Nesse sentido, acreditamos que as tendências no mundo da arquitetura podem ser definidas não apenas pelo que foi recorrente e popular, mas também pelo que se mostrou relevante e substancial.

Frenches Interior / Sibling Architecture. Image © Christine FrancisVilla in Ibiza / Reutov Design. Image Courtesy of Reutov Dmitry, Gerner EkaterinaSky House / MIA Design Studio. Image © Trieu ChienMountain View House / CAN. Image © Jim Stephenson+ 49

Apartamentos Cirqua / BKK Architects

© Peter Bennetts© Shannon McGrath© Peter Bennetts© Peter Bennetts+ 19

Ivanhoe East, Austrália
  • Arquitetos: BKK Architects
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  5800
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2017
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Australian Sustainable Hardwoods (ASH), Robertsons Bricks

7 Arquitetos que não têm medo de usar as cores em seus projetos

Interior da Casa Gilardi. Imagem © <a href='https://commons.wikimedia.org/wiki/File%3ACasa_Liraldi_Luis_Barrag%C3%A1n.JPG'> Wikimedia user Ulises00</a> licensed under <a href=' https://en.wikipedia.org/wiki/Public_domain'>Public Domain</a>Casa Batlló. Imagem © <a href='https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Barcelona_Casa_Batll%C3%B3_DachterrasseKamine.jpg'>Wikimedia user M.Stallbaum</a> licensed under <a href='https://en.wikipedia.org/wiki/Public_domain'>Public Domain</a>St. Coletta School / Michael Graves. Imagem Cortesia de Michael GravesCafé l'Aubette. Imagem © <a href='https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Strasbourg_Cin%C3%A9_Bal_de_l%27Aubette_janvier_2014-17.jpg'>Wikimedia user Claude Truong-Ngoc</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/deed.en'>CC BY-SA 3.0</a>+ 22

Alguns arquitetos são apaixonados por cores, alguns são impassíveis a ela, outros a odeiam e tem aqueles que preferem descartá-la como algo desnecessário na arquitetura. Em um ensaio sobre o assunto, Timothy Brittain-Catlin menciona o "puritanismo inato entre os clientes de arquitetura", os arquitetos e seu "constrangimento em relação ao uso da cor", e como "o modernismo buscou contornar o uso das cores vibrantes na arquitetura". O debate sobre a cor na arquitetura está longe de ser algo novo, no entanto não há uma conclusão unânime, e provavelmente, nunca a teremos.

Atualmente, onde o estereótipo do arquiteto sobriamente vestido de preto ainda persiste, e enquanto meditamos silenciosamente sobre a estranha definição da Cosmic Latte, existem arquitetos que não têm medo de usar amplamente a cor em tudo o que fazem. Por isso, editamos uma lista com 7 importantes arquitetos que seguiram este caminho, tanto no passado como no presente.

Edifício New Academic Street / Lyons

© Peter Bennetts© Peter Bennetts© Peter Bennetts© Peter Bennetts+ 39

  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  36000
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2017
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Atkar, Australian Sustainable Hardwoods (ASH), AutoCAD, Bamstone, Briggs Veneers, +10

Administração do Albert Park / Harrison and White + Archier

© Peter Bennetts© Peter Bennetts© Peter Bennetts© Peter Bennetts+ 20

  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  1585
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2019
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Ampelite, Autex, Britton Timbers, Fisher & Paykel, GRAPHISOFT, +11

Edifício de Aprendizagem e Ensino da Universidade de Monash / John Wardle Architects

© Peter Bennetts© Trevor Mein© Peter Bennetts© Peter Bennetts+ 21

  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  28980
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2018
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Interface, AutoDesk, El Zinc, Fairview Architectural, Forbo, +4

A importância do ambiente na abordagem Reggio Emilia

Redbridge School / ARX Portugal Arquitetos. Image © Fernando Guerra | FG+SGCreche Leimond-Shonaka / Archivision Hirotani Studio. Image © Noriko MomoiKindergarten in Guastalla / Mario Cucinella Architects. Image © Moreno MaggiCentro Infantil El Guadual / Daniel Joseph Feldman Mowerman + Iván Dario Quiñones Sanchez. Image © Ivan Dario Quiñones Sanchez+ 48

A pedagogia Reggio Emilia foi criada no período pós-segunda-guerra, por iniciativa de mães viúvas e sob a coordenação do pedagogo e jornalista Loris Malaguzzi. Em uma época de reconstrução das cidades, a preocupação primordial do grupo era em relação às novas escolas, onde desejavam criar um ambiente tranquilo, acolhedor e alegre (com uma atmosfera de lar) onde as crianças pudessem ficar enquanto as mães trabalhavam. Entender os interesses da criança e proporcionar um ambiente adequado para permitir experimentos e exploração é um dos pontos focais dessa pedagogia. A preparação de um ambiente seguro e estimulante é tão fundamental que, em muitas literaturas, ele aparece como um terceiro professor.

Residência Wildcoast / FGR Architects

© Peter Bennetts© Peter Bennetts© Peter Bennetts© Peter Bennetts+ 17

Portsea, Austrália
  • Arquitetos: FGR Architects
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  340
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2016
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Cosentino, 2 Pac joinery – Matt Black, Decton Domoos – solid collection, Dulux, Insitu Concrete Steps, +4