Dmitry Tsyrencshikov

NAVEGUE POR TODOS OS PROJETOS DESTE FOTÓGRAFO

Iluminação para espaços de trabalho: exemplos de sistemas uniformes, localizados e mistos

© Luc Boegly© Yevhenii Avramenko© Jack Hobhouse© Matthijs van Roon+ 15

Se considerarmos que as pessoas passam grande parte do dia em seus trabalhos, o conforto visual e a regulação da luz ao longo do dia são importantes. A iluminação dos espaços de trabalho deve proporcionar as melhores condições de conforto visual para cada caso específico, adaptando-se às mudanças de luz ao longo das horas do dia, melhorando o desempenho e proporcionando bem-estar físico e mental. 

Espelhos na arquitetura: possibilidades de espaços refletidos

Mirror Garden / ARCHSTUDIO. Image © Ning Wang
Mirror Garden / ARCHSTUDIO. Image © Ning Wang

KAP-House / ONG&ONG Pte Ltd. Image © Derek SwalwellSi estas paredes hablasen / Serrano + Baquero Arquitectos. Image © Fernando AldaPH José Mármol / Estudio Yama. Image © Javier Agustin RojasThe Mirror Window / Kosaku Matsumoto. Image © Nobutada Omote+ 39

Os seres humanos usam espelhos desde 600 aC, empregando a rocha obsidiana altamente polida como superfície reflexiva básica. Com o tempo, as pessoas começaram a usar pequenos pedaços de ouro, prata e alumínio de maneira semelhante, tanto por suas propriedades refletivas quanto por decoração. No século I dC, as pessoas começaram a usar o vidro para fazer espelhos, mas foi apenas durante o Renascimento Europeu que os fabricantes venezianos começaram a fabricar espelhos aplicando suportes metálicos nas folhas de vidro, permanecendo o método geral mais comum hoje em dia. Desde então, os espelhos continuam a desempenhar papel decorativo e funcional na arquitetura, proporcionando uma estética moderna e limpa, apesar de suas origens antigas. Abaixo, investigamos como os espelhos são feitos, fornecemos um pouco de sua história na arquitetura e oferecemos várias dicas para arquitetos que desejam usá-los em seus projetos.

Os tijolos de vidro estão voltando, novamente, à arquitetura

Em 1977, um artigo do The New York Times escrito por Carter B. Horsley proclamava “o auge dos glamorosos tijolos de vidro”: antes um material “de segunda categoria”, os tijolos de vidro começavam a ganhar aceitação entre arquitetos em projetos residenciais e de restaurantes por sua translucidez, privacidade, interesse visual e senso de ordem. Após o uso breve, mas generalizado, de tijolos de vidro, muitos agora associam o material a estilos arquitetônicos desatualizados dos anos 80, uma estética que poucos parecem interessados em reviver. No entanto, arquitetos contemporâneos pioneiros começaram a usar esse material exclusivo de maneiras novas e distintamente modernas, seja para banheiros elegantes e minimalistas, bares e restaurantes industriais, janelas residenciais vintage ou até fachadas urbanas experimentais. Como Horsley afirmou, parece que os tijolos de vidro glamourosos estão no auge - de novo.

A nova arquitetura da Bielorrússia pós-soviética

A nova arquitetura bielorrussa é um reflexo da complexidade histórico-cultural de um país com um passado tão árduo quando diverso. Antiga República Socialista Soviética, a Bielorrússia é um país marcado por uma forte heterogeneidade cultural, especificidades que refletem a pluralidade de seus seis voblasts, ou províncias, e que finalmente caracterizam o ambiente construído diverso deste país. Desde a declaração de soberania do Estado Bielorrússo em 1990, as principais cidades do país passaram a receber um contingente populacional vindo do campo à um ritmo sem precedentes, e atualmente, as dez maiores cidades do país abrigam praticamente dois terços da população bielorrussa.

© Alexandra Kononchenko© Dmitry Tsyrencshikov© Dmitry Tsyrencshikov© Kate Brichkovskaya+ 8

Hotel Tochka na Karte / Rhizome

© Dmitry Tsyrencshikov© Dmitry Tsyrencshikov© Dmitry Tsyrencshikov© Dmitry Tsyrencshikov+ 39

Priozersk, Rússia
  • Arquitetos: Rhizome
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  1
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2017
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Grand Line Velur 20, Leaf stone, Manufacturer, Rockfon, Sloplast

Residência em Roschino / AB CHVOYA

© Dmitry Tsyrencshikov© Dmitry Tsyrencshikov© Dmitry Tsyrencshikov© Dmitry Tsyrencshikov+ 22

Distrito Vyborgsky, Rússia
  • Arquitetos: AB CHVOYA
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  159
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2018
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: DuPont, VEKA, DEREVOTEKA, Ikea, ROCKWOOL

Vizor / STUDIO11

© Dmitry Tsyrencshikov                            © Dmitry Tsyrencshikov                            © Dmitry Tsyrencshikov                            © Dmitry Tsyrencshikov                            + 25

  • Arquitetos: STUDIO11
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  190
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2016