Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos

Oswaldo Bratke

NAVEGUE POR TODOS OS PROJETOS DESTE ESCRITÓRIO

Clássicos da Arquitetura: Três Terminais Modernos

17:00 - 9 Setembro, 2015
Clássicos da Arquitetura: Três Terminais Modernos

Vários terminais de transporte foram construídos no Brasil entre as décadas de 1950 e 1970. Muitos optaram pelo concreto armado aparente como materialidade principal do edifício e pelo pilar isolado como elemento escultórico. Entre esses terminais, três se destacam: o Terminal Ferroviário de Ribeirão Preto, inaugurado em 1965, obra de Oswaldo Bratke, o Terminal Rodoviário de Fortaleza, de 1973, projetada por Marrocos Aragão, e o Terminal Rodoviário de Jaú, do mesmo ano, de Vilanova Artigas. Outras características comuns são evidentes: as superfícies reversas nas lajes de cobertura –paraboloides hiperbólicos nas coberturas de Riibeirão Preto e Fortaleza– ou nos pilares –de Jaú–, a superfície contínua da cobertura que se separa do resto do edifício, a iluminação zenital –como rasgos entre os módulos das coberturas de Riibeirão Preto e Fortaleza, ou como aberturas circulares no eixo vertical central dos pilares de Jaú–.

Relembre cada um desses três Clássicos da Arquitetura Moderna Brasileira.

Clássicos da Arquitetura: Estação Ferroviária de Ribeirão Preto / Oswaldo Bratke

20:00 - 2 Setembro, 2015
Clássicos da Arquitetura: Estação Ferroviária de Ribeirão Preto / Oswaldo Bratke, © Ana Carolina Gleria Lima
© Ana Carolina Gleria Lima

Por Ana Carolina Gleria Lima

Trinta e oito módulos de cobertura delimitam o espaço. Um paraboloide hiperbólico de concreto armado cuja projeção quadrada mede dez metros e sessenta centímetros de lado é sustentada por um pilar central, de seção quadrada cujo lado mede quarenta e cinco centímetros. Configuram o módulo de cobertura. Os módulos estão distanciados por um vão de quarenta centímetros, fechado no encontro das laterais por uma chapa de cimento vibrado. A altura livre do pilar é de seis metros; a altura total do módulo é de sete metros e cinquenta centímetros.

Clássicos da Arquitetura: Vila Serra do Navio / Oswaldo Bratke

06:00 - 23 Agosto, 2015
Clássicos da Arquitetura: Vila Serra do Navio / Oswaldo Bratke, © Nelson Kon
© Nelson Kon

© Nelson Kon © Nelson Kon © Nelson Kon © Nelson Kon + 23

Por Luis Espallargas

Vila Serra do Navio se estrutura segundo um núcleo linear e distendido que reúne e ordena todas as edificações e atividades de interesse coletivo, além de associar, com áreas verdes urbanizadas, dois afastados setores habitacionais. A concisão parece ter sido alcançada com remanejamento posterior, quando o setor esportivo faz a ligação dos dois grupos de moradia. Em oposição a essa espinha dorsal e estrutural acusada pelo gentil caminho para pedestres, há setores envolventes recortados ora por vias locais, ora por cul-de-sacs que concentram, segundo duas classes funcionais, as categorias residenciais e unifamiliares dos funcionários. O sistema viário, sempre externo, é o escudo, garante o afastamento da floresta e está complementado pela trilha interna de pedestres que cumpre a ligação retilínea e econômica entre setores.

Clássicos da Arquitetura: Residência no Morumbi / Oswaldo Bratke

17:00 - 12 Fevereiro, 2014
Clássicos da Arquitetura: Residência no Morumbi / Oswaldo Bratke, Via Segawa e Dourado, 1997. Image © Chico Albuquerque
Via Segawa e Dourado, 1997. Image © Chico Albuquerque

Via Segawa e Dourado, 1997. Image © Chico Albuquerque Via L'Architecture d'Aujourd'hui 49. Image © Chico Albuquerque Via Segawa e Dourado, 1997. Image © Chico Albuquerque Via Segawa e Dourado, 1997. Image © Chico Albuquerque + 20

De uma matriz ortogonal modular surge o edifício. Sete eixos estruturais transversais, de cinco metros e setenta centímetros de espaçamento, marcam com a locação dos pilares as fachadas frontal e de fundos. Lateralmente, são quatro os eixos, porém com diferentes medidas entre eles. Uma laje de piso, cinquenta centímetros acima do nível do solo na fachada principal, e uma laje de cobertura completam a composição: dois planos horizontais unidos por uma matriz de linhas verticais.

Clássicos da Arquitetura: Residência Oscar Americano / Oswaldo Bratke

21:00 - 24 Julho, 2013
Clássicos da Arquitetura: Residência Oscar Americano / Oswaldo Bratke, © Nelson Kon
© Nelson Kon

© Nelson Kon © Nelson Kon © Nelson Kon © Nelson Kon + 20

A modulação estrutural, em pilares, vigas e lajes de concreto armado, dá unidade visual ao edifício, e permite um jogo de recuos, avances, aberturas e vazios, criando um contraste harmônico entre rigidez e ordem estrutural e liberdade volumétrica, espacial e material. Reforça a presença do edifício em meio à natureza, e deixa que ela adentre seus espaços.