Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Artigos

Artigos

O Arquiteto e a Cidade Acessível: O Ensaio Premiado

Todos os anos, o Departamento de Arquitetura da Universidade da Califórnia, Berkeley atribui o Berkeley Prize de modo a promover a pesquisa de arquitetura como arte social. O tema deste ano era “O Arquiteto e a Cidade Acessível.” O ensaio que se segue, “Um dia na vida de um utilizador de cadeira de rodas: circulando por Lincoln,” escrito por Sophia Bannert da Universidade de Lincoln, venceu o primeiro prémio.

O discurso arquitetônico tornou-se gradualmente incoerente com as necessidades sociais e éticas da cidade contemporânea. Com a relação tensa entre a teoria e a prática, a irrelevância social no design é ubíqua. Os arquitetos que praticam a profissão vêem frequentemente a teoria como esotérica e não-transferível, enquanto muitos teóricos não manifestam as suas idéias na realidade através da construção. Este trabalho foi escrito para persuadir, motivar e encorajar que existe valor real na promoção das idéias que se seguem. Os conceitos propostos não são apenas aplicáveis à cidade de Lincoln, são relevantes e adaptáveis à todas as cidades. Inspirado pela arquitetura que ainda não se manifestou, espera suscitar o espírito necessário para erradicar desigualdades sociais no desenho urbano.

Como disse Albert Einstein: “Se os fatos não encaixam na teoria, mudem-se os fatos”. De modo a ter um entendimento palpável do que seria verdadeiramente ter uma deficiência motora em Lincoln, aluguei uma cadeira de rodas por um dia para ver por mim mesma se os fatos se encaixavam na teoria.

Leia mais sobre a história premiada de Sophia Bannert abaixo.

7 razões pelas quais a arquitetura (como a conhecemos) está acabada

Steve Mouzon, diretor de Studio Sky e Mouzon Design, é um arquiteto, urbanista, autor e fotógrafo de Miami. Ele fundou o New Urban Guild, que hospeda o Project: Smart Dwelling e ajuda a divulgar o movimento Katrina Cottages. A Associação sem fins lucrativos afiliada é a Guild Foundation, que hospeda a iniciativa Original Green.

A arquitetura mudou irreversivelmente na última década, mas aqueles que souberam se adaptar estarão bem colocados dentro da profissão dentro de alguns anos. Já se passaram 8 anos desde o pico da construção em 2005, quase seis anos da crise de financiamentos e cinco anos desde a grande crise que originou a Grande Recessão.

Hoje em dia, parece que o mercado imobiliário está começando a se recompor, mas é tarde demais para a arquitetura como a conhecíamos. E aqui estão sete razões disso...

Cinema e Arquitetura: "Havana, A Nova Arte de Fazer Ruínas"

O filme desta semana, no Cinema e Arquitetura, foi exibido há alguns meses no Arquitectura Film Festival Santiago de Chile 2012, este documentário alemão, "Havana, A Nova Arte de Fazer Ruínas" (tradução livre), conta a história, sonhos e conflitos das pessoas que forçadamente vivem em edificações semi-destruídas em Havana, Cuba. É a decadência de uma cidade e suas habitações como uma fonte contínua de perigo para seu residentes. É um retrato das ruínas habitadas de Havana e a estranha magia que se produz quando estas são demolidas para ser renovadas ou quando simplesmente colapsam.

Mais informações e o trailer do documentário realizado por Florian Borchmeyer e Matthias Hentschler, na continuação.

Feliz Aniversário Pierre de Meuron!

Há 63 anos, em Basiléia, nascia o arquiteto Pierre de Meurom. Sua obra é indissociável da de seu companheiro de estudos (no ETH em Zurique, Suíça) e trabalho, Jacques Herzog. Pierre é, desde 1978, uma das duas metades do prestigioso escritório Herzog & de Meuron.

"A arquitetura é uma oportunidade de iluminar plenamente os espaços em que vivemos e trabalhamos, para criar uma experiência que atraia todos os sentidos".

Na seqüência, uma breve retrospectiva profissional.

Arte e Arquitetura: "Il Senso delle Cose", Illustrações de Fabio Barilari

O arquiteto e ilustrador Fabio Barilari compartilhou conosco sua série de ilustrações "Il Senso delle Cose", apresentada em Roma entre janeiro e fevereiro, de 2013. A série busca descrever, através do desenho, "a alma dos lugares, dos objetos encontrados aí e suas memórias".

© Fabio Barilari © Fabio Barilari © Fabio Barilari © Fabio Barilari + 17

“Galeria Urban Forms”: Galeria de arte urbana ao ar livre em Lodz, Polônia

Em Lodz, Polônia, há grandes murais que cobrem fachadas de 21 edifícios do centro da cidade, que pelas suas proximidades, deram origem à “Galeria Urban Forms”, exposição permanente de arte no espaço público. Ela pode ser percorrida a pé, em poucas horas ou em minutos, se você visitar o mapa interativo da galeria, onde são agrupados os trabalhos de artistas da Alemanha, Austrália, Brasil, Chile, Espanha, França e Polônia.

Imagem via galeriaurbanforms.org Imagem via galeriaurbanforms.org Imagem via galeriaurbanforms.org Imagem via galeriaurbanforms.org + 21

A Literatura da Arquitetura, uma conversa com Germán del Sol [Parte I]

CAF lança Concurso de Projetos de Desenvolvimento Urbano e Inclusão Social

Diariamente se comenta do crescimento exponencial incontrolável da população urbana mundial. No caso da América Latina, nos últimos 40 anos esta parcela da população triplicou, e com ela os problemas de vulnerabilidade. Hoje em dia, cerca de 80% da população da América Latina é urbana, contra 51% mundiais. As cidades exercem uma função central, porém, esta realidade apresenta riscos latentes quanto à qualidade social, econômica, política e ambiental.

Esta situação não nos obriga somente a refletir sobre a situação, mas também a atuarmos nesta realidade: a forma como se planeja e constrói os assentamentos urbanos determinará não apenas a qualidade da vida das pessoas, mas também se este modo de vida será viável ou não.

Com o objetivo de unir esforços entre profissionais, acadêmicos, corpos governamentais e financiadores que possam propor e identificar estratégias que alcancem esta meta, a CAF convoca o III Concurso Internacional de Desenvolvimento Urbano e Inclusão Social.

Todas as informações referentes ao concurso e os detalhes de como participar, após o intervalo:

Guia de Aplicativos ArchDaily: Morpholio 2.0

O Guia de Aplicativos de Arquitetura do ArchDaily apresentará a você aplicativos para web e celulares que poderão ajudá-lo como arquiteto: produtividade, inspiração, concepção e mais...

Há um ano nós apresentamos o Morpholio Project, um aplicativo para web e celulares, criado por arquitetos e voltado para a indústria criativa. Há poucos meses foi lançado o iPad App: Morpholio Trace, uma ferramenta de concepção que atraiu atenção de arquitetos e designers. Este aplicativo foi apenas o começo do que se tornaria o Morpholio 2.0 (download grátis na App Store), com novas ferramentas que transformaram o aplicativo em uma flexível plataforma de trabalho onde designers, arquitetos, designers de moda, artistas 3D, fotógrafos, designers de automóveis e qualquer pessoal da indústria criativa podem interagir e desenvolver ideias através de feedback.

O aplicativo se baseia na investigação das interações entre pessoas e computadores, buscando criar inovações como uma ferramenta para análise de imagens chamada "Eye Time" ou "Crits" em que colaboradores podem compartilhar imagens e comentar no trabalho de todos os outros através de notas e esboços. Receber dados do comportamento das pessoas é essencial para oferecer estas formas poderosas de feedback, permitindo saber como aqueles que acompanham seu trabalho estão interagindo com ele.

Saiba mais a respeito das 7 novas ferramentas que o Morpholio 2.0 oferece ao mundo criativo:

My Desk / Miguel Mestre

O conceito de "My Desk" é liberdade. Liberdade criativa. Liberdade dos limites das páginas de seus cadernos e post-its. My Desk entrega um papel branco de 100x70cm que serve literalmente como base para seu trabalho e ajuda sua mente a fluir. Desenhar, fazer anotações ou simplesmente rabiscar.

Este novo escritório, criado pelo designer português Miguel Mestre, consiste numa estrutura de compensado de madeira com pés de metal e uma pilha de papel em branco.

Edifícios Habitacionais Pré-fabricados Serão Construídos em Apenas um Mês em Nova York

A construção fora do terreno de implantação não é apenas uma alternativa a mais de construção. Fazer uma construção mais rentável, é uma opção viável para a renovação urbana em terrenos de difícil acesso nos centros das grandes cidades. Esta alternativa possui um grande potencial para oferecer qualidade no projeto de habitações de baixo custo, as que fazem grande falta - neste caso - em Nova York.

Este complexo residencial desenvolvido pelo estúdio GLUCK+, é composto por sete pavimentos e 28 apartamentos individuais e será a primeira construção residencial pré-fabricada em aço e concreto na cidade.

Mais informações e um vídeo do processo de construção, na continuação.

Iñaki Ábalos é o novo Diretor do Departamento de Arquitetura em Harvard GSD

Iñaki Abalos foi nomeado como novo diretor do Departamento de Arquitetura de Harvard GSD; Ele assumirá o cargo no dia 01 de julho de 2013.

Abalos já trabalhou como Professor Residente de Arquitetura na GSD, na área de design e história. Seus cursos sobre as propriedades térmicas entre a arquitetura e elementos naturais incluem: "Ar em movimento" e "Madrid Termodinâmica". Ambos os temas estiveram presentes ao longo de sua trajetória, na qual tratou de encontrar um equilíbrio entre a precisão técnica e a integração com o meio ambiente e paisagem.

A escola sem dúvida se beneficiará de seu profundo compromisso intelectual com o campo da arquitetura e de sua paixão tanto como educador, assim como arquiteto”, declarou Dean Mohsen Mostafavi, Decano de Harvard Graduate School.

Como um Pritzker é escolhido? Explicação de Alejandro Aravena

O site de arquitetura argentino ARQ Clarín publicou uma interessante entrevista feita com o arquiteto Alejandro Aravena focada em seu papel como jurado Pritzker.

O Pritzker é a premiação mais importante reconhecida pelos arquitetos de todo o mundo desde seu início em 1979. O processo de eleição deste prêmio não é muito conhecido, no entanto, o arquiteto chileno, Alejandro Aravena nos entrega um panorama geral bastante claro que destaca alguns dos valores e dados considerados para esta eleição. Além disso, expõe a dedicação e o tempo que significa realizar uma tarefa desta magnitude.

Confira a entrevista na continuação.

Mesh Sofá / People’s Industrial Design Office

Mesh Sofá é uma coleção de mobiliário externo, criado por People’s Industrial Design Office (PIDO), um estúdio de desenho industrial com base em Beijing. O conceito era utilizar a transparência da malha junto com uma base refletora para alcançar o efeito onde a pessoa sentada pareça flutuar no ar.

Através das Lentes: Ficção Científica & Arquitetura

Pode-se pensar que, de todos os gêneros de filmes, a ficção científica seria o menos provável a apresentar edifícios reais. É evidente que os diretores de arte sempre buscam evitar conexões com elementos tão ligados à realidade, no entanto, existe, de certo modo, uma tradição em utilizar a arquitetura moderna como base para a criação de mundos cinematográficos fictícios.

A ficção científica apresenta uma peculiaridade: sua audiência acredita nos mundos que lhe são apresentados. Movimentos de câmera bem pensados, perspectivas e os materiais certos contribuem para isso. Além disso, a escolha de edifícios modernos reais - ao invés de cenários inteiramente construídos - contribui para a autenticidade e atmosfera destes filmes.

Saiba mais sobre o uso da arquitetura moderna em filmes de ficção científica como Blade Runner, Gattaca, Aeon Flux e outros, após o intervalo...

Arte e Arquitetura: Graffiti de Velocidade / Espelho Simétrico, por Shinichi Higashi

A série Graffiti of Speed/Mirror Symmetry, do fotógrafo japonês Shinichi Higashi, busca novas perspectivas ao refletir simetricamente as fotografias de larga exposição. Desta maneira, busca capturar uma perspectiva em movimento da paisagem urbana de Tóquio.

Más información e imágenes a continuación.

© Shinichi Higashi © Shinichi Higashi © Shinichi Higashi © Shinichi Higashi + 12

Perspectivas sobre Hong Kong: Entre longas tradições e contrastes extremos

Por Dr. Arq. Guillermo Tella, Doutor em Urbanismo e Martín M. Muñoz, Doutorando de Urbanismo. Tradução ArchDaily Brasil.

Hong Kong é uma das regiões mais densas do planeta e a cidade mais influente do sudeste asiático. É um território de longas tradições e contrastes extremos. Foi colônia até 1997, quando o território foi transferido da soberania britânica para a China ao fim do tratado de arrendamento firmado por 99 anos com a Grã Bretanha em 1898.

William McDonough + Partners Imagina a Casa Sustentável do Futuro Funcionando como uma Árvore

Na primavera de 2009, The Wall Street Journal pediu ao escritório de William McDonough + Partners para imaginar a casa sustentável do futuro. Usando a natureza como guia e fonte de inspiração, a equipe propôs o desenho de uma casa que funcione como uma árvore. Assim, a casa aproveita a luz solar para gerar energia, proporcionar habitats naturais, capturar carbono e produzir oxigênio, além de permitir a completa reutilização de suas peças quando acabar sua vida útil.

Mais informações e imagens, na continuação.

Cinema e Arquitetura: "New Urban Cowboy"

Nesta semana no Cinema e Arquitetura, compartilhamos este documentário que faz parte da mostra Arquitectura Film Festival Santiago 2012, realizado por Michael E. Arth y Blake Wiers. O filme conta precisamente a história de Michael Arth, um "artista, desenhador urbano e promotor imobiliário" que com determinação conseguiu mudar a qualidade de vida de um bairro degradado e perigoso na Flórida, Estados Unidos.

Sua ideia vai além da simples renovação de sua nova casa; seu plano é a criação de um novo urbanismo ecológico formado por "pedestres", que usam os carros apenas quando é estritamente necessário e onde a pessoa e o bem da comunidade está em primeiro lugar. Seu sonho vai se realizando - apesar da resistência de uma área a ponto de demolição - ao motivar mais pessoas para que comprem outras casas e sigam seu exemplo.

É o inspirador trabalho de um "não-arquiteto" que quer mudar o mudo casa por casa.

Feliz aniversário I.M. Pei!

"Eu acredito que a arquitetura é uma arte pragmática. Para se tornar arte deve ser construída baseada na necessidade".

Ieoh Ming em chinês significa "to inscribe brightly", um nome que se revelou profético para este brilhante arquiteto que está cumprindo 96 anos. Ao longo de sua carreira, ele já construiu mais de 50 projetos em todo o mundo, caracterizado por linhas geométricas e eficiência funcional única - Influência de Walter Gropius - e, sobretudo, o uso de soluções estruturais marcantes, como Bank of China Tower (1989) ou o H. Morton Meyerson Symphony Center (1989).

Oriundo de uma cultura milenar, o valor da história desempenha um papel importante em algumas de suas obras, como o Museu do Louvre de Paris. Hoje lembramos a história deste famoso arquiteto que recebeu a Medalha de Ouro do AIA em 1979 e o Pritzker em 1983.

Centro Nacional de Investigación Atmosférica (NCAR) (1967) / Estados Unidos. Image © Daderot [Wikipedia], bajo licencia CC BY-SA 3.0 Museo Everson (1968) / Estados Unidos. Image © Jesse Ganes Biblioteca John F. Kennedy (1979) / Estados Unidos. Image © MickStephenson [Wikipedia], bajo licencia CC BY-SA 3.0 Torre del Banco de China (1989) / Hong Kong. Image © WiNG [Wikipedia], bajo licencia CC BY-SA 3.0 + 8

Uma definição de arquitetura / Silvio Colin

Sempre desejei comentar essa definição de arquitetura do Jorge Moreira. Ela me provoca há anos, desde que foi colocada em um grande painel no 5º andar do edifício da FAU, na Ilha do Fundão no Rio de Janeiro, onde leciono.

Vejo nela muitas coisas verdadeiras sobre as quais todo estudante deve refletir. É mais que uma definição de arquitetura. É também uma definição do papel do arquiteto na sociedade, pelo menos segundo um determinado ponto de vista, a romântica atitude modernista de uma época. Mas vejo também neste texto algumas dissonâncias, não do tipo criativo, resultante da inserção de notas estranhas aos acordes perfeitos, mas do tipo de dissonâncias resultante de cordas desafinadas. É isto que desejo comentar porque esse texto expressa muitos problemas vividos pelo arquiteto na relação com sua profissão e com o cliente.

Cadeira Feita de Resíduos de Madeira / architecture uncomfortable workshop

Esta nova cadeira conversível feita a partir de um tronco de carvalho foi projetada pelo estúdio de arquitetura húngaro Architecture Uncomfortable Workshop. A ideia surgiu a partir do estudo dos resíduos que sobram da confecção de vigas de madeira.

Urban Light Art: Grafite Arquitetônico de Luz

O grafite arquitetônico de luz pode ser realizado de diversos modos, no entanto todos compartilham de uma característica comum: os efeitos são efêmeros e se alteram de segundo em segundo. O único registro dessas artes performativas vêm em forma de fotografias e vídeos. Na continuação apresentamos três tipos de arte urbana que envolve a luz: dorm room tetris, lightstick air animation e architectural projection bombing.

Imagem via WebUrbanist Imagem via WebUrbanist Imagem via WebUrbanist Imagem via WebUrbanist + 5

O Novo "Contexto" em Arquitetura: Aprendendo com o Líbano

O "contexto" em arquitetura se tornou um assunto alvo de discussões e debates ao longo dos anos. E, na realidade, não possui uma grande relevância no sentido formal e tipológico. Tomemos, por exemplo, as formas fluidas que compõem as centenas de projetos de Zaha Hadid ao redor do mundo, ou as composições explodidas de Frank Gehry vistas na África do Sul e também no inconfundível Guggenheim de Bilbao. A forma que a arquitetura toma nestes casos, e em diversos outros, é uma completa desconsideração ao contexto em seu sentido literal.

Mas é um erro desconsiderar o contexto? Os observadores diriam freqüentemente que sim, embora eu discorde. Tem se tornado frequente que projetos desta natureza, abertamente formais e nem sempre bem ajustados em relação aos seus entornos históricos, tomem um posicionamento quanto às questões urbanas que têm impacto direto sobre os habitantes da cidade. É muito simples, hoje em dia, uma arquitetura bem sucedida é aquela que serve culturalmente e praticamente à sociedade, abordando os problemas das cidades do século XXI e lidando com o contexto de maneira a buscar soluções, indo além da estética (cujo valor é apenas temporário) e em direção a um urbanismo que investe no futuro. Um exemplo? A cidade onde moro: Beirut, Líbano.

Exemplos no Líbano que ilustram esta nova abordagem ao contexto na continuação.

The Lebanese American University Campus in Byblos. Image © Nadim Asfar The Saint Joseph University Campus of Sports and Innovation. Image © 109 Architectes The Saint Joseph University Campus of Sports and Innovation. Image © 109 Architectes The Issam Faris Institute at the American University of Beirut's Historic Campus. Image © Zaha Hadid Architects. + 12

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.