Museu do Tijolo / Brasil Arquitetura

Museu do Tijolo / Brasil Arquitetura

© Brasil Arquitetura© Brasil Arquitetura© Brasil Arquitetura© Brasil Arquitetura+ 28

  • Arquitetos Responsáveis : Francisco Fanucci e Marcelo Ferraz
  • Equipe De Projeto : André Villas Boas, Anne Dieterich, Anselmo Turazzi, Cícero Ferraz Cruz, Gabriel Mendonça, Gustavo Otsuka, Harold S. Ramirez, Julio Tarragó, Laura Ferraz, Luciana Dornellas, Victor Gurgel e William Campos
  • Estagiários : Gabriel Carvalho, Giulia Lucente, Guilherme Tanaka, Juliana Ricci, Pedro Renault e Roberto Brotero
  • Maquete Física: : Guilherme Tanaka
  • Engenharia Estrutural : Diego Troian
  • Construtor : Elito Lima dos Passos
  • Prinicipal Fornecedor : Cerâmica Fachinetto
  • País : Brasil
Mais informaçõesMenos informações
© Brasil Arquitetura
© Brasil Arquitetura

Descrição enviada pela equipe de projeto. O projeto para o Museu da Cerâmica Fachinetto é um projeto realista em termos de custos e soluções construtivas, sem abrir mão da riqueza espacial e poética que um museu como este deve ter.

© Brasil Arquitetura
© Brasil Arquitetura

O museu possui uma área construída de 530m², sendo 330m² no piso superior e 200m² no piso inferior. Sua implantação tira partido da topografia do terreno uma vez que existe um desnível de 3m entre a parte mais alta junto à rua e a parte dos fundos, sugerindo quase naturalmente a adoção de pé direito simples no bloco frontal e duplo na parte posterior.

Croqui 01
Croqui 01
Croqui 02
Croqui 02

Este mesmo desnível, acentuado na região da rocha natural de basalto, está evidenciado no projeto como um grande corte – uma falha - que atravessa o terreno de lado a lado passando pelo interior do edifício. A intenção projetual foi pousar o edifício no terreno como ele é, sem grandes movimentos de terra.

© Brasil Arquitetura
© Brasil Arquitetura

O tijolo da cerâmica Fachinetto será empregado como o material básico de estrutura e vedos de todo o projeto – paredes e colunas estruturais e paredes de vedação. Mesmo se pintado o tijolo, portanto, será a marca de personalidade do museu. O concreto deverá ser utilizado somente nas fundações, vigas e lajes.

© Brasil Arquitetura
© Brasil Arquitetura

As colunas deverão ser feitas uma a uma em formas anômalas orgânicas de tijolos mesclados (inteiros e quebrados). Serão como grandes esculturas que sustentarão a laje de cobertura.

© Brasil Arquitetura
© Brasil Arquitetura
Cortes
Cortes
© Brasil Arquitetura
© Brasil Arquitetura

Um grande muro de tijolos com 45 cm de espessura orienta todo o projeto e os usos do museu. Este muro funciona como uma grande espinha dorsal, com 35 metros de comprimento, orientado exatamente no sentido norte/sul. Este muro deverá ser integralmente de tijolos assentados com vários tipos de aparelhamentos mostrando a riqueza intrínseca à técnica milenar da alvenaria. É parte integral da museografia.

© Brasil Arquitetura
© Brasil Arquitetura

Uma sequência de usos acompanha o desenvolvimento deste muro, acentuando sua presença com elemento estruturador do projeto. Começando pela recepção e acolhimento – onde o velho caminhão dá as boas vindas aos visitantes - será montada exposição permanente - ou de longa duração, que contará a história da Cerâmica e da Familia Fachinetto; seguindo o muro, existirá uma linha do tempo com objetos e painéis que mostrarão a cerâmica na história da humanidade (claro que sempre acentuando o uso do tijolo e da telha); pode-se ai ter dois caminhos a seguir, o mezanino que vai desvendando todo o andar de baixo e leva o visitante até as exposições temporárias e a varanda que avista a casa antiga da família com a vegetação exuberante, ou toma-se a escada que leva ao auditório e ao piso inferior.

© Brasil Arquitetura
© Brasil Arquitetura

No piso inferior o museu continua com espaços e atividades mais participativas e interativas, como biblioteca, pesquisa, ateliê de cerâmica para cursos, café e atividades didáticas e recreativas. Deste piso inferior poderão sair grupos para a visita guiada à Cerâmica Fachinetto.

Junto à escada aproveitando o desnível do terreno será implantado um pequeno auditório multiuso para 48 pessoas, dando mais visibilidade e conforto aos usuários.

© Brasil Arquitetura
© Brasil Arquitetura

Em todo edifício será empregado um piso de cimento desempenado de alta resistência, com baixa manutenção e grande eficiência em ambiente de grande fluxo de pessoas.

Na cobertura existirá uma laje jardim como solução também de isolamento térmico de fácil manutenção.

Maquete
Maquete

Galeria do Projeto

Ver tudoMostrar menos

Localização do Projeto

Endereço:Arvorezinha - Río Grande del Sur, 95995-000, Brasil

Clique para abrir o mapa
Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Cita: "Museu do Tijolo / Brasil Arquitetura" 18 Jan 2022. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/975261/museu-do-tijolo-brasil-arquitetura> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.