Ampliar imagem | Tamanho original
Uma placa de informações turísticas à beira da estrada indica a presença de um parque natural com uma fortaleza de pedra logo a frente. Chegando a Saint-Lô, uma pequena cidade no noroeste da França no topo de uma colina rochosa, a muralha que margeia a cidade é a primeira coisa que chama a atenção dos visitantes, algo que nos faz lembrar do famoso Mont-Saint-Michel, o qual encontra-se uns cem quilômetros mais ao sul. As ruínas de Saint-Lô são uma das tantas lembranças da Segunda Guerra Mundial que seguem resistindo ao tempo, contando a história de uma região devastada pelas duas grandes guerras. Aqui, é possível revisitar um passado que muitos desejam esquecer, as bombas dos Aliados e a destruição deixada pelos nazistas quando passaram pela região à caminho de Paris. Neste contexto, o edifício do Parque Tecnológico FORT nasce profundamente enraizado na história local, tendo a pedra como elemento construtivo  fundamental. As rochas, extraídas das colinas de Saint-Lô —ou Collines du Cotentin— foram então incorporadas pelos arquitetos para a construção dos muros e paredes do edifício, como uma nova fortaleza que dialoga com o patrimônio natural e construído da cidade. Após a Segunda Guerra Mundial, muitos se perguntaram se a fortaleza original deveria ser reconstruída. Os moradores de toda a região permaneceram em silêncio, desejando que a guerra nunca tivesse acontecido; os edifícios que permaneceram em pé, ou aquilo que restou deles, operava como uma lembrança de tempos difíceis, mas de qualquer maneira, os habitantes se negavam a transferir o centro da cidade para outro lugar. Foi assim que a pequena cidade de Saint-Lô foi sendo reconstruída, no mesmo lugar onde sempre esteve e de onde nunca deveria sair: protegida por sua própria fortaleza. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar