Ampliar imagem | Tamanho original
Rino Levi entendia que o projeto de hospitais deveria prescindir de modelos preestabelecidos e que as formas deveriam resultar da organização adequada de três diretrizes: programa funcional, circulações e flexibilidade física. Esses ensinamentos foram transmitidos durante o curso Planejamento de Hospitais, realizado em abril de 1953 pelo IAB-SP e organizado por Levi, Jarbas Karman e Amador Cintra do Prado. O curso teve grande importância na remodelação dos hospitais brasileiros ao longo da segunda metade do século XX. O pesquisador da Fiocruz e arquiteto Renato Gama-Rosa Costa afirma que o curso foi um marco para a consolidação dos arquitetos como “protagonistas do processo de construção dos hospitais, desde a sua concepção até a entrega da obra” [1]. Em um artigo sobre a repercussão do curso, a Revista Paulista de Hospitais afirma que o evento “constituiu um autêntico sucesso nos meios universitários, científicos e hospitalares e representou, sem a menor dúvida, um passo importante para a remodelação das instituições nosocomiais brasileiras, verdadeiro marco miliário no aperfeiçoamento dos nossos processos de assistência ao enfermo” [2]. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar