Ampliar imagem | Tamanho original
Na década de 1930, as pessoas costumavam gostar das grandes entradas marcantes, onde recebiam os convidados nobres. Os enormes banheiros e salas de estar foram concebidos como espaços onde a família passava a maior parte do tempo. No entanto, os dormitórios poderiam ser pequenos, até mesmo sem calefação. É por isso que o famoso braseiro portátil foi usado ou, na sua ausência, garrafas com água quente. A distribuição do apartamento #JJ74 refletia esse modo de vida passado, cuja arquitetura de longos corredores e forros altos ainda está presente em muitas casas do bairro de Salamanca, em Madri. O projeto responde às novas necessidades de habitação. Assim, o objetivo é obter salas maiores para passar o tempo e poder realizar outras atividades além de dormir e, em vez da sala de estar, queríamos uma sala comum e flexível que pudesse servir como cozinha, sala de jantar, sala de estar, salão de dança, oficina ou tudo de uma vez, dependendo do dia. A atualização dos modos de vida em escala doméstica não acontece neste projeto por uma ideia ou gesto arquitetônico. Pelo contrário, resulta do acúmulo de uma série de operações de otimização e reutilização espacial: deslocamentos, perfurações, fragmentações, projeções ou extensões. Como premissa, e como determina a lei na qual não se cria nem se destrói, apenas se transforma, evitamos fazer desaparecer ou criar do zero, tentando apenas transformar, mantendo os traços do que era antes. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar