Ampliar imagem | Tamanho original
O artesanal está de volta. Uma reivindicação dos ofícios frente à produção industrial em massa que caracterizou o século XX, refletida em uma nova sensibilidade às matérias-primas, na recuperação de técnicas locais e na defesa dos pequenos comércios. Materiais como a terra e a cerâmica, os têxteis e a madeira têm sido revalorizados por designers, artistas e arquitetos ao redor do mundo, em busca de seu próprio estilo e da representação da nostalgia coletiva. No entanto, hoje existem novas maneiras de responder a essas necessidades antigas. Embora uma parte importante da tendência seja a recuperação de técnicas de fabricação manual, hoje há tecnologias que permitem emular esses processos em menos tempo e em maior escala. Trata-se de um novo processo de industrialização? A fabricação aditiva, já em uso desde os anos 90, permite a materialização de formas orgânicas precisas, projetadas para contextos específicos. Como uma opção entre a exclusividade e a fabricação em massas, a impressão 3D tem a capacidade de estender o ofício para além do trabalho manual. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar