Ampliar imagem | Tamanho original
Com a alta densidade populacional das cidades e o apetite voraz do mercado por cada metro quadrado, não é incomum que a vegetação urbana seja algo deixado de lado. É por essa razão que florestas, hortas e jardins verticais venham despertando tanto interesse e figurado em propostas diversas. Utilizar o plano vertical para manter plantas parece uma saída coerente e de bom senso, sobretudo quando não há possibilidade de trazer o verde para o nível das pessoas, nas ruas.  A vegetação em planos verticais funciona mais do que um adorno estético. As plantas barram uma parte da radiação solar que incide nas superfícies, tornando os espaços internos mais saudáveis e reduzindo a necessidade de condicionadores de ar, economizando em 30% a energia elétrica, por conta de resfriamento evaporativo e sombreamento [1]. Em frente a uma empena cega, ela pode diminuir a temperatura da alvenaria, reduzindo os ganhos de calor. Sobre uma abertura, ela pode filtrar a luz solar que adentraria o espaço. Opções de vegetações caducas são interessantes nesse caso, permitindo a entrada de radiação solar no inverno e a barrando no verão. Além de tornar a qualidade do ar melhor, as folhas também absorvem um pouco do som (pesquisas mostram a diminuição de até 5 dB), diminuindo o desconforto por conta de ruídos externos indesejáveis. Também proporciona que a fachada mude suas cores periodicamente, por conta das florações, atraindo abelhas e outros insetos tão importantes para o meio ambiente e a produção de alimentos.  Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar