Ampliar imagem | Tamanho original
A casa como um abrigo, um lugar oculto, um esconderijo. Um reflexo que distorce e expande o jardim, enquanto confunde e protege.  Não consigo adivinhar o interior, ao se aproximar é possível espiar através do grande óculo prateado que perfura o reflexo. Mas o que existe dentro? Uma mulher se olha no espelho, em um jardim submerso em uma lagoa. A visão oposta, a partir do interior, é invadida pela vegetação, um lago com água e flores que inundam a vista através do óculo. O elemento refletor abriga os usos mais privativos da casa, o quarto e o banheiro, permitindo iluminação e ventilação eficazes, e evitando as vistas diretas para o exterior. Introvertida e aconchegante, a casa como um refúgio em sua essência. Os demais usos da casa, cozinha, sala de estar e estudo, concentram-se no volume adjacente, na antiga oficina de pintura. Como estratégia, os móveis fixos foram dispostos no perímetro, garantindo uma maior área livre e evitando espaços de circulação. A cobertura translúcida ilumina o espaço durante o dia todo. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar