Ampliar imagem | Tamanho original
A obra do escritório catalão Barozzi Veiga é explorada a partir da tensão entre tradição e invenção na arquitetura, neste artigo de João Paulo Rapagão, publicado através da parceria com a AMAG.  As recentes instalações assinadas por Fabrizio Barozzi (Trento, 1976) e Alberto Veiga (Santiago de Compostela, 1973) apresentadas em Veneza (2016) e Chicago (2017) são simultaneamente manifestos de confissão e reflexão sobre a genealogia dos projectos e obras da dupla de arquitectos reunida em 2004 e sediada em Barcelona. Sem filiações ou fidelizações únicas, antes centrados na apropriação ambiental do lugar e na afirmação formal do uso, Barozzi|Veiga conquistam a identidade de cada contexto e significam a individualidade da forma que o vai transformar. Aspiram, por isso, assumir iconografias locais, sempre com ambições e conotações simbólicas. O modus operandi alcança uma arquitectura formal e materialmente abrangente, claramente convincente e conivente com o mundo actual, ao mesmo tempo global e regional. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar