Ampliar imagem | Tamanho original
Desde o início do mês, milhares de focos de incêndio foram registrados nos estados do Norte do Brasil, estendendo-se pelo Acre, Rondônia, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, chegando à tríplice fronteira entre Brasil, Bolívia e Paraguai. De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o país vive a maior onda de queimadas dos últimos cinco anos. Com efeito, o Programa Queimadas do instituto, vinculado ao Ministério de Ciência e Tecnologia, registrou 71.497 focos de incêndio entre os dias 1 de janeiro e 18 de agosto deste ano - número é 82% maior do que o mesmo período do ano passado, quando foram registrados 39.194 focos de incêndio.  O fogo tem início, na maioria dos casos, a partir das queimadas, uma prática comum que visa abrir espaço na mata para fins agropecuários, em geral, para criar rebanhos bovinos. Esta é técnica mais barata de limpar uma área - e não é necessariamente ruim, se for feita de forma controlada e em lugares permitidos. Infelizmente, no Brasil, a maioria das queimadas é realizada em áreas protegidas que não poderiam ser convertidas ao agronegócio. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar